A ferrugem-asiática da soja é a doença mais severa da cultura da soja, com danos variando de 10 a 90% nas diversas regiões geográficas em que ocorre e que demanda maior investimento dos produtores. Os fungicidas são atualmente uma das grandes ferramentas para o controle da doença, o problema, no entanto, é que a rede do Consórcio Antiferrugem, que avalia anualmente a eficiência dos fungicidas, tem identificado reduções na eficiência desses produtos.


Veja também: Desafios no manejo da ferrugem da soja


Essa redução na eficiência dos produtos ocorre, principalmente, em virtude de uma série de mutações no genoma desse fungo que conferiram a ele uma menor sensibilidade a alguns fungicidas.

Veja na figura abaixo quais foram os fungicidas que já tiveram relatadas as mutações, reduzindo a eficiência de controle.

Fonte: Embrapa Soja.

 Os sintomas da ferrugem asiática da soja podem surgir em qualquer momento do ciclo fenológico da cultura, porém tem surgido com maior frequência nas plantas próximas à floração e com maior frequência nas folhas do baixeiro das plantas.

O controle da ferrugem exige a combinação de diversas técnicas, a fim de evitar perdas de rendimento. Recomendam-se algumas estratégias, tais como:

  • Semear preferencialmente cultivares precoces e no início da época recomendada para cada região;
  • Evitar o prolongamento do período de semeadura, pois a soja semeada mais tardiamente (ou ciclo longo) irá sofrer mais dano, devido à multiplicação do fungo nas primeiras semeaduras.

Nas regiões onde foi constatada a ferrugem, deve-se iniciar a vistoria da lavoura desde o início da safra e, principalmente, quando a soja estiver próxima da floração, ao primeiro sinal da doença e, havendo condições favoráveis (chuva e/ou abundante formação de orvalho), poderá haver a necessidade de aplicação de fungicida.



Pensando nisso, na safra 2016/17, a Fundação MS executou experimentos com diversos fungicidas em diversas regiões do Estado. Foram realizadas aplicações de fungicidas à base de trifloxistrobina + protioconazole (Fox) em diferentes momentos de aplicação, onde foi verificado que para a ferrugem asiática da soja, a antecipação da aplicação não resulta em incremento significativo de controle, nesse experimento.

Veja os resultados obtidos nas imagens abaixo.

Figura 1. Eficiência de controle de ferrugem asiática da soja com o fungicida Fox aplicado em diferentes momentos. Maracaju, MS, 2017. Barras de cores diferentes indicam diferenças estatísticas entre os tratamentos.

Fonte: Fundação MS.

Tabela 1. Eficiência de controle de diferentes fungicidas em diferentes municípios de Mato Grosso do Sul. Maracaju, MS, 2018.

Fonte: Fundação MS.

Figura 2. Eficiência de controle de diferentes fungicidas multissítios no controle de ferrugem asiática em plantas de soja. Média de cinco locais em Mato Grosso do Sul. Maracaju, MS, 2018.

Fonte: Fundação MS.

Para saber mais, clique aqui.



Elaboração: Engenheira Agrônoma Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.