InícioDestaqueDólar e Chicago recuam e início de semana para a soja deve...

Dólar e Chicago recuam e início de semana para a soja deve ser lento no Brasil

O mercado brasileiro de soja deve iniciar a semana com poucos negócios e com pressão sobre as cotações nas principais praças do país. Os contratos futuros em Chicago e o dólar registram perdas, o que deve afastar os negociadores.

O mercado teve um melhor movimento na sexta-feira, mas não teve reporte de grandes lotes comercializados. Segundo a Safras Consultoria, no geral, os produtores querem cotações melhores, já que viram a soja subir bem recentemente.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 125,00 para R$ 125,50. Na região das Missões, a cotação aumentou de R$ 124,00 para R$ 124,50 a saca. No Porto de Rio Grande, o preço cresceu de R$ 135,00 para R$ 135,50 a saca.

Em Cascavel, no Paraná, a saca subiu de R$ 127,00 para R$ 128,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), o preço passou de R$ 134,00 para R$ 136,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca valorizou de R$ 118,00 para R$ 119,00. Em Dourados (MS), o preço subiu de R$ 119,00 para R$ 119,50 a saca. Já em Rio Verde (GO), a saca foi de R$ 117,00 para R$ 119,00.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em julho registram perdas de 0,36% a US$ 12,16 1/2 por bushel.

* O mercado é pressionado pela estimativa de que os Estados Unidos deverão produzir a sua segunda maior colheita de soja em 2024/24, aumentando os estoques globais para mais do que os analistas previam.

USDA

* O relatório de maio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou que a safra norte americana de soja deverá ficar em 4,450 bilhões de bushels em 2024/25, o equivalente a 121,1 milhões de toneladas. A produtividade foi indicada em 52 bushels por acre. O número superou a expectativa do mercado de 4,43 bilhões ou 120,6 milhões de toneladas.

* Os estoques finais estão projetados em 445 milhões de bushels ou 12,11 milhões de toneladas. O mercado apostava em carryover de 432 milhões de bushels ou 11,76 milhões de toneladas.

* O USDA está estimando exportações de 1,825 bilhão de bushels e esmagamento de 2,425 bilhões de bushels. Estes foram os primeiros números para a atual temporada.

* Para 2023/24, o Departamento indicou estoques de passagem de 340 milhões de bushels, repetindo o relatório anterior e dentro da expectativa do mercado, de 341 milhões de bushels.

* O relatório projetou safra mundial de soja em 2024/25 de 422,26 milhões de toneladas. Para 2023/24, a previsão é de 396,95 milhões de toneladas.

* Os estoques finais para 2024/25 estão estimados em 128,5 milhões de toneladas, acima da previsão do mercado de 120 milhões de toneladas e da estimativa para 2023/24, de 111,78 milhões – mercado esperava número de 112,4 milhões.

* Para a produção brasileira, o USDA reduziu a estimativa de produção de 154 milhões de toneladas, contra 155 milhões do relatório anterior e 152,6 milhões da previsão do mercado. A primeira estimativa para 2024/25 é de 169 milhões de toneladas.

* Para a Argentina, a previsão para 2023/24 foi mantida em 50 milhões de toneladas, contra expectativa de 49,5 milhões do mercado. Para 2024/25, a estimativa inicial é de 51 milhões de toneladas.

* As importações chinesas em 2023/24 foram mantidas em 105 milhões de toneladas. Para a próxima temporada, a previsão é de um número subindo para 109 milhões de toneladas.

PRÊMIOS

* Os preços Fob da soja subiram na sexta nos portos brasileiros, acompanhando os ganhos de Chicago. A movimentação esteve moderada, apesar da presença da China na ponta compradora.

* Os prêmios de exportação da soja para maio estavam em -5 e +25 centavos de dólar sobre Chicago no final da sexta no Porto de Paranaguá. Para junho de 2024, o prêmio era de +8 a +17. Para julho de 2024, o prêmio estava em +25 a +37 pontos, conforme dados de Safras & Mercado.

* O preço FOB (flat price) para junho ficou entre US$ 450,80 e US$ 454,20 a tonelada na sexta. No dia anterior, a cotação oscilou entre R$ 447,70 e R$ 449,60.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com baixa de 0,41%, cotado a R$ 5,1364. O dollar index (DXY) recua 0,10% a 105,20 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em baixa. Xangai, -0,21%. Em Tóquio, -0,13%.

* As principais bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -0,19%; Frankfurt, -0,18%, , e Londres, -0,10%.

* O petróleo registra cotações mais altas. O WTI para junho sobe 0,67% a US$ 78,78 o barril.

AGENDA

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 12h.

– A balança comercial preliminar de maio será divulgada, às 15h, pelo Ministério da Indústria, Comércio e Turismo.

– Dados de comercialização de soja, milho e algodão do MT – Imea, 16h.

– O Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) divulgará, a partir das 16h, o relatório mensal estatístico com a atualização dos embarques do produto em abril de 2024, no primeiro quadrimestre deste ano e no acumulado dos dez primeiros meses do ano safra 2023/24.

– Projeções de confinamento no MT – Imea, 15h.

– Evolução e condições das lavouras nos EUA – USDA, 17h.

– Resultado financeiro da Raizen e da Petrobras.

—-Terça-feira (14/05)

– Japão: O índice de preços ao produtor de abril será divulgado na noite anterior pelo Banco do Japão (BoJ).

– Alemanha: A leitura revisada do índice de preços ao consumidor de abril será publicada às 2h pelo Destatis.

– Reino Unido: A taxa de desemprego de março será divulgada às 3h pelo escritório nacional de estatísticas.

– A farmacêutica Bayer divulga seus resultados trimestrais.

– O BC divulga, às 8h, a ata da última reunião do COPOM.

– Atualização da estimativa para a safra brasileira de grãos em 2023/24 – Conab, 9h.

– Levantamento Sistemático de Produção Agrícola de abril – IBGE, 9h.

– Dados sobre as lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

– EUA: A leitura do índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) de abril será publicada às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Resultado financeiro da JBS.

—–Quarta-feira (15/05)

– Eurozona: A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre será publicada às 6h pelo Eurostat.

– Eurozona: O índice de produção industrial de março será divulgado às 6h pelo Eurostat.

– O BC divulga, às 9h, o IBC-Br de março.

– EUA: A leitura do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de abril será publicada às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– EUA: A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30 pelo Departamento de Energia (DoE).

– Esmagamento de soja nos Estados Unidos em abril – Nopa, 13h.

– Custos de produção de soja, milho e algodão no MT – Imea, 16h.

—–Quinta-feira (16/05)

– A FGV divulga, às 8h, o IGP-10 de maio.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30.

– EUA: A produção industrial e a capacidade utilizada nos Estados Unidos em abril será divulgada às 10h15 pelo Federal Reserve.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Relatório de condições das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, na parte da tarde.

– Dados sobre o desenvolvimento das lavouras no RS – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (17/05)

– China: O índice de produção industrial de abril será publicado na noite anterior pelo departamento de estatísticas.

– Eurozona: A leitura revisada do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de abril será divulgada às 6h pelo Eurostat.

– Dados de evolução das lavouras do Mato Grosso – IMEA, 16h.

Autor/Fonte: Dylan Della Pasqua  / Agência Safras News

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares