InícioDestaqueEm consulta pública da Anvisa, Presidente do Sistema Faeg/Senar defende uso do...

Em consulta pública da Anvisa, Presidente do Sistema Faeg/Senar defende uso do glifosato

O registro e comercialização do ingrediente ativo glifosato em defensivos agrícolas é importante para dar mais segurança e eficiência à produção brasileira. Isso foi que o defendeu o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás, Deputado Federal José Mário Schreiner,  ao participar da consulta púbica da Anvisa que trata da manutenção da substância.  A Faeg  está mobilizando produtores rurais de todas as regiões para que participem da consulta pública. O prazo para enviar a contribuição à Anvisa vai até o próximo dia 6 de junho. Em sua manifestação, José Mário alega que a suspensão do glifosato representa prejuízo de mais de R$ 25 bilhões para a balança comercial brasileira, com risco de desabastecimento interno, quebra da produtividade e perda de competitividade no mercado externo.

 José Mário  aponta que o custo de produção por hectare de lavoura aumentaria consideravelmente sem a substância. A redução da rentabilidade representaria para os produtores retração da área plantada e queda na produção. “O atual cenário brasileiro reforça o sentido de urgência em garantir segurança jurídica ao produtor, visto que a proibição do glifosato sensibilizaria integralmente as dinâmicas de produção”, afirma o deputado federal e presidente da Faeg.

veja mais no vídeo.

 

Para defender o uso do glisofato é preciso preencher o formulário da Anvisa no link:

http://bit.ly/consultapublicaglifosato

Fonte: Portal do Sistema FAEG, Comunicação Sistema Faeg/Senar

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares