“A Embrapa faz parte desse Brasil que dá certo, que contribui para o desenvolvimento sustentável, que preserva 66% do seu território para produzir alimentos, alimenta 7 vezes o tamanho da população brasileira. E podemos fazer mais, com nossos Unidades, pesquisadores e com as contribuições que oferecemos às políticas públicas”, disse o presidente da Embrapa, Celso Moretti, durante o encontro da diretoria da Empresa com os parlamentares, na mostra Agricultura Movida a Ciência, hoje (21), na Câmara dos Deputados.

A exposição, que acontece de 19 a 23 de agosto, no Espaço Mário Covas, no anexo II da Câmara dos Deputados, tem o objetivo de apresentar aos parlamentares os resultados e impactos positivos da pesquisa agropecuária na economia, no meio ambiente e na mesa do brasileiro. A mostra também destaca a contribuição da Empresa para as políticas públicas.

Além do presidente da Embrapa, participaram da abertura oficial da exposição, os chefes das Unidades Descentralizadas, a Diretoria-Executiva da Empresa e diversos parlamentares.

Vários deputados visitaram o Espaço Mário Covas, entre eles os parlamentares: Roberto Pessoa (PSDB, CE), Alceu Moreira (MDB, RS), Rodrigo Agostinho (PSB, SP), que é o presidente da Comissão de Meio Ambiente,Vittor Lipi (PSDB, SP), Arnaldo Jardim (Cidadania, SP), Paulo Magalhães (PSD, BA) e Nelson Barbudo (PSL, MT).

Acesse aqui para ver as fotos.

Em sua fala aos parlamentares, Moretti lembrou que o Brasil hoje alimenta 1,4 bilhão de pessoas e que boa parte dos alimentos produzidos pelo país tem tecnologia da Embrapa. “Até 2030, o Brasil vai ser o maior produtor de alimentos do mundo. Contem com a Embrapa”. Ele falou também sobre como a Empresa tem contribuído para o desenvolvimento sustentável: “o Brasil produz hoje de forma sustentável. Somos um dos países que usa a menor quantidade de agrotóxicos por hectare em relação aos países que são nossos competidores”.

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Alceu Moreira (MDB, RS), destacou a importância da Embrapa para a economia do país e a necessidade de os parlamentares aportarem recursos na execução de sua programação de pesquisa: “dentro dessa Empresa espalhada pelo Brasil há ativos que podem modificar definitivamente a economia do nosso país. Nossa grande fonte de modernização é baseada na inovação, na pesquisa e na tecnologia, e tudo isso passa pela nossa Embrapa na questão do agro”. O parlamentar enfatizou que é preciso ir além do discurso, garantindo a repercussão orçamentária para a estatal. “A Embrapa pode muito mais, depende de todos nós”.

Antes da abertura da mostra Agricultura Movida a Ciência, Moretti participou de um café da manhã com parlamentares da FPA, realizado no restaurante do Senado Federal.

A Embrapa e o parlamento

A mostra no Congresso Nacional integra um conjunto de ações que a Empresa começou a colocar em prática a partir de uma estratégia de relacionamento com os parlamentares, executada desde o começo do ano. No dia 23, a Embrapa Cerrados recebe assessores parlamentares para um dia de campo, de 9h às 12h, no centro de pesquisa, em Planaltina. Na programação, o presidente Celso Moretti fará uma apresentação sobre os resultados da pesquisa para a sociedade. Em seguida, os assessores visitam três estações de trabalho sobre os temas: recursos naturais, sistema de produção sustentável e recuperação ambiental.

Além dessas duas ações, no âmbito do trabalho que a Empresa vem realizando para fortalecer o seu relacionamento com o parlamento, foram realizadas as seguintes ações:  café da manhã com deputados e senadores realizado em março;  visita do presidente da Frente Parlamentar de Agropecuária, Alceu Moreira (MDB/RS), à Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em maio, para conhecer o Banco Genético da Embrapa e a pesquisa com insumos biológicos; lançamento da publicação Agricultura Movida a Ciência e dos encartes das UDs, onde são apresentadas as principais linhas de pesquisa, seus temas e infraestrutura; lançamento da publicação Embrapa e Parlamentares, produção de cartilha de orientação, no formato perguntas e respostas, dirigida aos gestores da Embrapa sobre o relacionamento com os parlamentares.

Ainda está prevista uma audiência pública em setembro, onde a Embrapa apresentará suas estratégias de atuação aos congressistas. Também está havendo orientação às unidades para que seja estimulada a visita de parlamentares às unidades do Estado pelo qual foram eleitos. O objetivo é que os parlamentares conheçam melhor a Embrapa, sua estrutura, ações, resultados e impacto e benefícios à sociedade.

Painéis em exposição

Até o dia 23, o público que circula pela Câmara dos Deputados, em especial, deputados e senadores, poderá conhecer os painéis instalados na mostra Agricultura Movida a Ciência. Em um deles, é possível localizar as 43 UDs no mapa do Brasil, e, ainda, atender a um convite feito aos deputados e senadores para que conheçam a Unidade de sua região. Todos os painéis têm um QRCode para que o conteúdo possa ser lido a partir de celulares.

Fixação Biológica do Nitrogênio (FBN), Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) são alguns exemplos de tecnologias que geram economia de recursos para o produtor rural e contribuem para o aumento da produtividade na agricultura. Elas também estão destacadas nos painéis, inclusive com a demonstração dos resultados financeiros anuais a partir da adoção da tecnologia pelo agricultor.

A economia na cultura da soja, a partir da adoção do FBN, é de R$ 19,2 bilhões, em média. A tecnologia dispensa o uso da adubação nitrogenada, pois utiliza um processo natural que não polui o ambiente e garante maior rentabilidade.

O Zarc oferece ao produtor um mapeamento das áreas de produção, indicando as melhores datas de plantio das culturas para cada município brasileiro. Sua utilização reduz o risco de perdas por fatores climáticos. Os estudos atendem a mais de 40 culturas e consideram o tipo de solo, cultivares de diferentes ciclos e datas alternativas para o plantio. A cada ano, são economizados R$ 5,4 bilhões, em média, pela adoção do Zarc.

A ILPF, por sua vez, permite a integração de produção agrícola, plantio de florestas e produção pecuária em uma mesma área. A tecnologia tem ganhado espaço junto ao produtor rural. Atualmente, está implantada em 15,5 milhões de hectares.

Outros destaques da exposição são o Banco Genético da Embrapa, considerado o maior da América Latina e o quinto maior do mundo e o Balanço Social de 2018, que devolveu à sociedade R$ 12,16 a partir de cada real investido na Empresa.

A participação da Embrapa na construção de políticas públicas também é tema da exposição. Entre elas: Política Nacional de OvinocaprinoculturaCódigo FlorestalPronasolosRenovabioPlano Safra da Agricultura  FamiliarSaneamento Rural.

Saiba mais sobre a Exposição Agricultura Movida a Ciência acessando aqui.

Texto originalmente publicado em:
Embrapa
Autor: Embrapa

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.