A área estimada para esta temporada é de 1.661,5 mil hectares, indicando incremento de 2,7% em relação aos 1.618,2 mil hectares efetivados na safra passada. Algumas das principais regiões produtoras já iniciaram o cultivo, e a expectativa é que as operações de plantio ganhem força a partir de janeiro.

A produção, estimada em 2,76 milhões de toneladas de algodão em pluma, é considerada uma das maiores dentro da série histórica, influenciada pelos grandes investimentos feitos no setor e pela expansão de área cultivada, especialmente em Mato Grosso e Bahia que, juntos, correspondem a mais de 88% da estimativa de produção para 2019/20.

Depois da atingir um recorde mensal de exportações em outubro, exportando 279 mil toneladas de pluma, o mercado internacional seguiu atrativo em novembro, quando o Brasil embarcou 256 mil toneladas, principalmente devido à taxa de câmbio valorizada.



Apesar do bom desempenho e com a recente amena valorização do real, a meta vislumbrada pelo setor no início do ano de exportar 2 milhões de toneladas em 2019 ficou distante de ser alcançada, devendo ficar abaixo das 1,6 milhão de toneladas no ano. Diante disso, o estoque final esperado para 2019 deve ser cerca de 46,8% superior ao de 2018, saindo de 1,02 milhão para 1,5 milhão de toneladas.

Com a expectativa de produção pouco acima da última safra, que foi recorde, a produção brasileira de algodão gerará, mais uma vez, um excedente exportável de cerca de 2 milhões de toneladas acima da demanda interna, com isso, o setor dependerá cada vez mais da exportação. Com o baixo crescimento do PIB, o consumo interno não apresentou bom desempenho em 2019.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), estima-se para este ano um aumento de apenas 0,7% na produção de vestuário e uma redução de 0,6% na produção têxtil, ocasionando uma redução de 2.725 empregos. Para 2020 os números são mais animadores, principalmente diante dos sinais de retomada do crescimento da economia.

Também de acordo com a Associação, a estimativa para o próximo ano é de crescimento de 2,2% na produção de vestuário e de 2,5% na produção têxtil, o que geraria um saldo positivo de 6.610 empregos. Logo, com os atuais dados de mercado disponíveis, projeta-se uma expansão no consumo de 2,9% para a safra 2019/20.

Confira aqui o Boletim completo do 4º Levantamento – Safra 2019/20.

Fonte: Conab

Texto originalmente publicado em:
4º Acompanhamento da safra brasileira de grãos
Autor: Conab

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.