A produção de milho da safra 2018/19 foi novamente reajustada para cima. Agora, a perspectiva é que a temporada some 94 milhões de toneladas, inferior apenas a 2016/17, segundo dados da Conab.

Com esse volume mais as importações, a disponibilidade interna pode atingir recorde. As exportações e o consumo doméstico também podem crescer, mas o grande excedente deve manter o tom baixista do mercado.

Diante desse cenário, segundo pesquisas do Cepea, os preços do cereal seguiram em queda na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Vendedores do Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul e Goiás) estão mais ativos nas vendas futuras do milho da segunda safra.

Produtores consultados pelo Cepea do Paraná e Rio Grande do Sul, por sua vez, mostram maior interesse de venda do milho de verão no spot. Entre 5 e 12 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) cedeu 3,6%, fechando a R$ 36,69/sc de 60 kg na sexta-feira, 12.

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br


Texto originalmente publicado em:
CEPEA
Autor: Cepea/Esalq

NO COMMENTS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.