Um estudo publicado na revista Science of the Total Environment descobriu que há uma troca de gases no solo promovida pela radiação solar (especialmente ultravioleta), permitindo o sequestro de gases NOx e sua transformação em nitrato. Conduzido por equipe internacional e coordenado por pesquisador da Universidade de Córdoba na Espanha, este estudo contou com a participação de dos pesquisadores brasileiros Alberto Vasconcellos Inda Jr. (UFRGS) e José Marques Jr. (UNESP).

Os gases NOx (termo genérico para definir o grupo de gases formados por óxido nítrico e dióxido de nitrogênio) são derivados de várias fontes (queima de combustíveis fósseis, incêndios florestais) incluindo as transformações de nitrogênio no solo. Mesmo assim, a maior concentração ocorre geralmente em ambientes urbanos, causando efeitos nocivos à saúde e contribuindo para o aquecimento global e a chuva ácida.

As propriedades fotocatalíticas de alguns minerais dariam origem a uma espécie de fotossíntese do solo. Assim, o solo capturaria gases NOx da atmosfera, transformando-os em nitrato, que é a maneira natural pela qual as plantas absorvem nitrogênio, elemento essencial para sua existência.


A descoberta é a peça que faltava no quebra-cabeça do ciclo do nitrogênio. Embora seja conhecido há mais de cem anos, esse esquema não inclui o efeito da radiação solar como ator nesse ciclo. Agora, a radiação solar é conhecida como um agente ativo das reações fotocatalíticas do solo.

O novo ciclo N nos solos. Fonte: Publicação original do artigo científico, mencionado por Barrón et al. Para acessar clique aqui.

A atividade fotocatalítica é diferente e dependendo do tipo de solo. Embora não seja muito significativo em solos arenosos com muito quartzo, os solos argilosos com quantidades significativas de esmectita, óxidos de ferro e de titânio apresentam altas taxas de sequestro de NOx e fixação de nitrato. As regiões de solos originados de rochas eruptivas máficas no Brasil, seria um bom exemplo de uma área com alto potencial para eliminar a poluição do ar, isto é, evitando a conversão de NO → NOx.

O artigo publicado abre as portas para aqueles que trabalham no campo da descontaminação e pode inspirar novas técnicas de gerenciamento de fertilizantes para evitar a perda de nitrato e mitigar a contaminação por NOx.

Acesse o arquivo em: https://www.sciencedirect.com/…/arti…/pii/S0048969719349745…

Fonte: Página do Facebook da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (para acessar clique aqui).

Artigo Original: V. Barrón et al./Science of the Total Environment 702 (2020) 134982 – Science of The Total Environment, Volume 702, 1 February 2020, 134982.



Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.