O trigo é uma das principais culturas de inverno em uso na rotação de culturas com a soja, especialmente nas regiões Sul do Brasil, sendo essas responsáveis pela maior parte área cultivada do grãos no território Brasileiro.

Entretanto, com o advento do sistema plantio direto (SPD), a soja assumiu o papel de cultura carro chefe de várias propriedades agrícolas, que passaram a investir em culturas de cobertura que não o trigo no período de inverno em virtude dos benefícios diretos e indiretos trazidos pela diversificação de espécies, mas também pela baixa atratividade econômica do trigo.

A área nacional de produção do trigo passou de aproximadamente 3,2 milhões de hectares cultivadas na safra 1989/1990 para 2,3 milhões de hectares na última safra (2019/2020), sendo que ao longo desse período, várias oscilações na área de cultivo do grão podem ser observadas.

Figura 1. Evolução da área plantada e da produção nacional de trigo (safras 1989/1990 – 2019/2020).

Fonte: Conab

Dentre os possíveis fatores responsáveis pela oscilação da área de cultivo do trigo, podemos citar a rotação de culturas e instabilidade econômica da cultura, causando certo desestímulo ao cultivo do grão frente aos custos de produção.

A região Sul seguida pelas regiões Sudeste e Centro-Oeste são as principais responsáveis pela produção tritícola brasileira, sendo que na safra 2019/2020 foram cultivadas 2,09 milhões de hectares do grão na região Sul, 170 mil hectares na região Sudeste e 58 mil hectares na região Centro-Oeste.

Embora a área de cultivo do trigo apresente expressiva oscilação e redução quando comparada a safra de 1989/1990, a importância cultural do trigo no sistema de produção demonstra uma tendência crescente no aumento da área cultivada do grão. Isso por que o trigo é fundamental para possibilitar a rotação de mecanismos de ação de herbicidas e inseticidas, auxiliando no controle de pragas, e plantas daninhas posteriormente na cultura da soja.



Além disso, os avanços tecnológicos, culturais e genéticos possibilitaram que a produtividade média de trigo praticamente triplicasse nos últimos 30 anos, passando de aproximadamente 1000 kg.ha-1 na região Sul para quase 3000 kg.ha-1 na safra 2019/2020.

Figura 2. Evolução da produtividade média de trigo das regiões, Sul, Sudeste e Centro-Oeste (série histórica safras 1989/1990 – 2019/2020).

Fonte: Conab

A nível nacional, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), a safra passada apresentou aumento aproximado de 14,17% da área plantada, 32,20% de produção e 17,79% de produtividade quando comparada a safra anterior. Isso demonstra que os avanços tecnológicos, genéticos e técnicos aliados a um sistema adequado de produção possibilitam que o trigo torne-se uma cultura competitiva quando manejada adequadamente.

Contudo, principalmente em anos com maior pré-disposição a ocorrência de doenças é fundamental dar atenção especial ao manejo fitossanitário da cultura do trigo. Além disso, o estabelecimento de um sistema de rotação de culturas adequado pode possibilitar a inserção do trigo no sistema de produção sem que maiores custos de produção incidam sobre a cultura.

Veja também: Entidades atualizam projeções para safra nacional de trigo



Referências:

CONAB. PORTAL DE INFORMAÇÕES AGROPECUÁRIAS: SÉRIE HISTÓRICA. Companhia Nacional de Abastecimento. Disponível em: <https://portaldeinformacoes.conab.gov.br/safra-serie-historica-graos.html>, acesso em: 14/09/2020.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

 

 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.