O presente trabalho teve por objetivo avaliar a varibilidade espaço-temporal do
fósforo disponível, numa catena de solos do Pampa gaúcho, em 4 anos de
monitoramento

Autores: Jamille de L. Machado1; Júlio C. W. Soares1; Higor M. de Freitas1; Thaynan H. de Lima1; Vanderson F. Campos1; Carolyne G. Uberti1

Introdução

O fósforo (P) é um elemento pouco móvel no solo, mas indispensável para qualquer forma de vida terrestre, estando presente em vários ecossistemas, a quantidade de P disponível presente no solo é variável, tornando-se do equilíbrio que se estabelece entre o P adsorvido na fase sólida e o P em solução na fase líquida do solo (Torrent, 2010).

A identificação das formas de P inogânico relacionadas com os teores de P “disponível” (fósforo assimilável pelas plantas, H2PO4 e HPO4) pelos extratores, o que permite a observação da necessidade da cultura para a correção e o funcionamento das práticas de manejo aplicadas na área (Bahia Filho et al., 1982).

O sistema plantio direto (SPD), visa o não revolvimento e a constante cobertura do solo por palhada, permitindo o acúmulo de material orgânico na superfície, o qual fornece energia, carbono e elétrons para o crescimento e desenvolvimento dos microrganismos, além de nutrientes para o solo e auxílio nas menores flutuações de temperatura e umidade do solo (Saffigna et al., 1989).

O presente trabalho teve por objetivo avaliar a varibilidade espaço-temporal do fósforo disponível, numa catena de solos do Pampa gaúcho, em 4 anos de monitoramento.

Material e Métodos

O estudo foi realizado numa catena de 1,17 ha, com coordenas centrais UTM 705.589 E e 6.769.112 S (SIRGAS 2000, zona 21 S), na Fazenda Escola da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Câmpus de Santiago, RS. A área em estudo é formada por diferentes polipédons em ordem de desenvolvimento temos: Neossolos Litólicos, Neossolos Regolíticos, Cambissolo Háplico e Argissolo vermelho.

Foram avaliados 52 pontos de prospecção, numa malha com intervalos fixos de 15 m. Para a coleta de solo, foi utilizado um trado holandês, tipo TF 3”, com caçamba de 20 cm. Para a locação dos pontos foi utilizado um receptor GNSS (Sistema Global de Navegação por Satélites), com dupla frequência (L1/L2) e disponibilidade de RTK (Posicionamento em Tempo Real), referenciado ao datum horizontal SIRGAS 2000, zona 21 S.

A determinação do P disponível foi realizada pelo método colorimétrico, conforme Tedesco et al., (1995). A variabilidade do solo foi observada pela análise estatística descritiva e a normalidade dos dados foi testada por Kolmogorov-Smirnov, com p < 0,05. Já o coeficiente de variação (CV) foi classificado como: baixo (CV < 12%), médio (12%< CV >60%) e alto (CV > 60%), segundo Warrick e Nielsen (1980).

No software ArcGIS® 10.5.1, utilizando a geoestátisca, foram realizados os ajustes dos semivariogramas, sendo definidos os parâmetros efeito, pepita, patamar e alcance. O Grau de Dependência Espacial (GDE) foi classificado como fraco, moderado e forte, conforme Cambardella et al., (1994). Em seguida, foram elaborados mapas utilizando um algoritmo preditor, a krigagem ordinária, sendo possível um maior detalhamento da área em estudo.

Resultados e Disucssão

Os resultados referentes às análises estatísticas descritivas apresentam distribuição normal, conforme o teste de Kolmogorov-Smirnov (Tabela 1). Para todas as variáveis analisadas, o CV(%) foi classificado como médio.

Os valores médio de fósforo disponíveis no solo variaram de forma crescente com o decorrer dos anos, através dessas práticas edáficas de conservação, como a adubação verde, prática realizada na área de estudo, essas práticas auxiliaram no incremento dos dados, exceto para o ano de 2018, onde a adubação de inverno foi realizada apenas com uréia, fazendo com que uma grande extração de fósforo disponível da reserva do solo ocorresse do solo pela planta.

Através da análise dos modelos dos semivariogramas, é possivel detectar o erro experimental praticamente nulo e a intensidade amostral alta, o que ocasionando uma alta acurácia nos dados (Tabela 2). Os mapas gerados de fósforo disponível, demonstram de uma forma geral, a distribuição espacial e temporal do mesmo, é notável a homogeniezação do elemento após o ano de 2016, por conta da abertura da área para agricultura, que até então era de campo nativo (Figura 1).

Conclusão

A intendidade amostral foi de grande importância para a acurácia nas predições do fósforo.
As práticas edáficas de conservação do solo aumentaram o fósforo disponível do solo.

Informações sobre os autores:

  • ¹ Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santiago/RS. Machadojamille498@gmail.com;juliowincher@gmail.com;higormfreitasagro@gmail.com;thaynanh.lima@hotmail.com;vandersonfc@outlook.com;garciauberticarolyne@gmail.com

Referências

AFFIGNA, P.G.; POWLSON, D.S.; BROOKES, P.C. & TOMAS, G.A.. Influence of sorghum residues and tillage on soil organic matter and soil microbial biomass in an Australian vertisol. Soil Biol. Biochem., 21:759-765, 1989.

BAHIA FILHO, A.F.C.; VASCONCELLOS, C.A.; SANTOS, H.L.; MENDES, J.F. PITTA, G.V.E. & OLIVEIRA, A.C. Formas de fósforo inorgânico e fósforo “disponível” em um latossolo VermelhoEscuro, fertilizado com diferentes fosfatos. R. Bras. Ci. Solo, 6:99-104, 1982.

CAMBARDELLA, C. A. et al. Field-scale variability of soil properties in central Iowa soils. Soil Science Society of America Journal, v. 58, n. 5, p. 1501-1511, 1994.

TEDESCO M.J.; GIANELLO C.; BISSANI C.A. et al., Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1995. 147p.

TORRENT, J. (2010) – Dinâmica do fósforo no solo : perspectiva agronómica e ambiental. Castelo Branco : IPCB. ISBN 978-989-8196-10-1. 97 p.

WARRICK, A.W.; NIELSEN, D.R. Spatial variability of soil physical properties in the field. In: Hillel, D. Applications of soil physics. New York: Academic Press, 1980.


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.