O Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB) abrirá em 25 de outubro as inscrições para a 14ª Edição do Desafio Nacional de Máxima Produtividade. O objetivo é desafiar produtores e consultores a utilizarem práticas agrícolas que contribuam para uma produção sustentável, rentável, saudável e sólida.

A nova edição terá duas grandes novidades: 1) aumentará o patamar de produtividade esperado para os participantes, e 2) criará uma nova regional Norte, fruto do desmembramento da Região Norte e Nordeste, para que cada região tenha o devido e merecido destaque no Desafio. Sendo assim, a partir da Safra 21/22, o Desafio passará a ter cinco regiões de destaque dentro da Categoria Sequeiro.

Leonardo Sologuren, presidente do CESB, explica que, tradicionalmente, o Comitê estabeleceu uma “régua de produtividade” na casa das 90sc/ha. Até então, se a colheita esperada fosse acima de 90 sacos/ha (5400 kg/ha), o produtor deveria chamar a auditoria oficial do CESB para acompanhar a colheita e solicitar auditagem. “Agora, nesta nova edição do Desafio, o patamar subirá para 95sc/ha”, diz.

A mudança é reflexo do excelente desempenho do Desafio CESB e da sojicultura nacional como um todo, ao longo dos últimos anos. Na edição passada, os vencedores estiveram muito acima da média produtiva nacional do cultivo, estimada em 58,3sc/ha pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Por exemplo, o produtor campeão da região Sul, Ernest Milla (in memoriam) – Condomínio Milla, da propriedade Fundo Grande, de Pinhão (PR), registrou 129,16sc/ha, consagrando-se também como vencedor nacional. Na categoria Irrigado, Silvio Langreberto Maluta, da Fazenda Fratelli, de Itapeva (SP), ficou em primeiro lugar, com 121,29sc/ha.

O presidente do CESB acredita que a mudança pode trazer números ainda mais positivos tanto para a sojicultura nacional, quanto para o Desafio, que na sua 13ª edição registrou recorde no número de inscritos – 6 mil ao todo, um crescimento de aproximadamente 15% em relação à edição anterior. “A decisão de aumentar o patamar de produtividade é uma forma do CESB de acompanhar a alta performance do sojicultor brasileiro”, afirma.

De forma mais prática, a mudança implica que o custo da auditagem para produções acima de 95sc/ha é de responsabilidade do CESB, enquanto nos casos em que a produtividade for menor que 95sc/ha, o custo é de responsabilidade de quem acionou a auditagem, sendo o produtor ou consultor. “Por esse motivo, salientamos a importância da realização da amostragem e da certificação que a produtividade esteja acima de 95sc/ha”, pontua Leonardo Sologuren.



Nova categoria

Outra mudança importante na 14ª Edição do Desafio Nacional de Máxima Produtividade do CESB é o desmembramento da categoria Campeão Sequeiro – Norte e Nordeste, nas categorias Campeão Sequeiro Norte e Campeão Sequeiro Nordeste, respectivamente. De acordo com Sologuren, a ideia é dar o devido destaque aos produtores de cada região, em especial da região Norte, uma vez que o crescimento da sojicultura no Brasil se deu pelo desenvolvimento dos produtores nessas áreas menos tradicionais. “O CESB, cumprindo seu papel de estimular o aumento sustentável da produtividade da soja, entende que o mais justo seria dedicar um reconhecimento apropriado aos produtores destas regiões”, explica.

Leonardo Sologuren lembra ainda que a missão do Desafio CESB só pode ser cumprida com o apoio dos patrocinadores, que há anos têm contribuído para o bom desempenho do Desafio. “Agradecemos as empresas que já nos apoiam e convidamos novos interessados em contribuir com a iniciativa. O apoio é fundamental para o avanço dos índices de produtividade no Brasil”, finaliza. Para saber mais, e se inscrever no 14º Desafio Nacional de Máxima Produtividade do CESB, acesse aqui.

O valor é de R$100,00 para inscrições não-patrocinadas e 100% gratuitas para inscrições que indicarem algum dos patrocinadores do CESB. Após conclusão do Desafio CESB, todos os participantes receberão um laudo/relatório das áreas auditadas, contendo:

  • Georreferenciamento da área auditada
  • Descritivo do campo de produção
  • Informações técnicas de manejo
  • Registro fotográfico
  • Informações adicionais (caso exista…)

Além de um certificado de participação, com sua classificação no Desafio CESB de Máxima Produtividade da Soja.

Em função das regras impostas pela LGPD, todos os participantes deverão renovar seus cadastros com o CESB. A renovação do cadastro contribuirá para o melhor controle em relação aos envios dos laudos técnicos e certificados emitidos pelo CESB e para uma maior segurança da informação, tanto dos próprios participantes, quanto do CESB.

O CESB foi criado com o objetivo de oferecer um ambiente regional e nacional que estimule sojicultores e consultores técnicos a desafiar seus conhecimentos incentivando o desenvolvimento de práticas de cultivo inovadoras. O CESB é composto por 19 membros e 30 entidades patrocinadoras: BASF, BAYER, SYNGENTA, UPL, FMC, JACTO, Mosaic, Superbac, Corteva, Elevagro, Eurochem Fertilizantes, ICL, ATTO Sementes, Stoller, Timac Agro, Brasmax, Stara, Datafarm, Somar Serviços Agro, Ubyfol, Fortgreen, KWS, Yara, Sumitomo Chemical, HO Genética, FT sementes, Biotrop, Koppert e IBRA.

Serviço:

  • 14º Desafio Nacional de Máxima Produtividade da Soja – CESB Safra 21/22
  • Abertura das Inscrições: 25 de outubro de 2021
  • Encerramento das Inscrições: 31 de janeiro de 2022
  • Mais informações e Inscrições: www.cesbrasil.org.br

Fonte: Assessoria imprensa CESB

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.