InícioDestaqueColheita de soja no RS chega a 94% da área total

Colheita de soja no RS chega a 94% da área total

O tempo seco e as temperaturas em elevação durante o dia e reduzidas à noite predominaram na semana. A umidade relativa do ar se manteve baixa, apesar das chuvas ocorridas no período. Esses fatores contribuíram para a colheita chegar a 94% dos cultivos.

Em todas as regiões, seguem as solicitações de vistorias de Proagro nas lavouras que utilizam a política de crédito rural. No Estado, até 29/04 foram realizadas 9.115 vistorias de Proagro em lavouras de soja por técnicos da Emater/RS-Ascar. A totalidade de solicitações em culturas e hortigranjeiros chega a 15.774 vistorias; os números vêm sendo contabilizados desde 01 de dezembro de 2019.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Ijuí, a colheita está tecnicamente encerrada. O rendimento médio atual é de 2.140 quilos por hectare. O produto colhido passa pela seleção, é classificado e submetido à análise de germinação. Durante a semana, foi intensificada a calagem para correção da acidez. Os produtores têm analisado o mercado, pois a disparada do dólar causou elevação de preços e impulsionou o faturamento do produto colhido. Ao mesmo tempo, as oscilações no mercado com tendência de alta de preços demandaram cautela, e os produtores desacelerarem a comercialização esperando preços futuros mais elevados.

Na região de Santa Rosa, 95% das áreas estão colhidas, 3% em maturação e 2% em enchimento de grãos. A produtividade atual é de 1.924 quilos por hectare, que corresponde à perda média de 41%, sendo mais expressiva na região das Missões: em Caibaté, 79%; Entre-Ijuís, 70%; Santo Ângelo e Bossoroca, 60% de perda na produtividade. As áreas de safrinha comprometidas pela estiagem resultaram em redução do potencial produtivo. As chuvas da semana, embora de baixa intensidade, favoreceram os cultivos em fase de enchimento dos grãos. Em geral, as lavouras apresentam aspecto sanitário satisfatório, com pouca incidência de ferrugem asiática, sendo registrados ataques de percevejos.

Na regional de Bagé, a colheita alcançou 83% da área, impulsionada pelo tempo seco. Os avanços mais significativos são registrados na região da Fronteira Oeste, que totaliza 95% da área colhida, enquanto que na região da Campanha o índice é próximo de 70%. As lavouras afetadas pela estiagem durante essa safra apresentam plantas com vagens sem grãos, principalmente no terço superior, e vagens sem enchimento completo dos grãos, com tamanho e peso fora do padrão. Em Dom Pedrito, uma amostra de grãos colhidos foi submetida à pesagem de mil unidades; o peso, que normalmente chegaria em média a 160
gramas, alcançou tão somente 64 gramas, correspondendo a 60% de redução.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Soledade, o predomínio do tempo seco favoreceu a colheita, que praticamente foi encerrada na semana (99%). A finalização depende da colheita em áreas situadas na região do Vale do Rio Pardo. A média de produtividade está em 1.620 quilos por hectare. Os grãos colhidos apresentam menor tamanho e peso, além de coloração esverdeada.

Na de Frederico Westphalen, a colheita foi realizada em 96% da área cultivada. Das demais lavouras, 2% estão em enchimento de grãos e 2% em maturação. A produtividade média se mantém em 2.420 quilos por hectare. A qualidade do produto final também é inferior, com peso e tamanho de grãos menores que o normal.

Nas regiões da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo e Erechim, a condição do tempo seco favoreceu a finalização da colheita. Os rendimentos atuais obtidos nas regiões foram de 2.240 quilos por hectare e 2.560 quilos por hectare, respectivamente. Na de Passo Fundo, o grão está sendo armazenado nos principais cerealistas da região e nas propriedades que dispõem de silos ou locais para armazenamento.

Na regional de Caxias do Sul, a colheita já chegou a 95% da área total cultivada, restando apenas algumas áreas no entorno de Vacaria e São Francisco de Paula, municípios dos Campos de Cima da Serra, onde a semeadura é mais tardia. O avanço da colheita confirma redução de produtividade de 40%; ficando em média 2.330 quilos por hectare.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Porto Alegre, 2% dos cultivos encerram a fase de enchimento de grãos, 25% estão em maturação e 73% já foram colhidos. Em geral, as lavouras apresentam desuniformidade, principalmente em áreas onde houve problemas de germinação, acarretando em plantas maduras e verdes na mesma área e redução da qualidade dos grãos. Também é visível a morte de plantas, decorrente da contínua falta de umidade no solo. O rendimento médio está em 1.650 quilos por hectare.

Na de Pelotas, a cultura está em plena fase de colheita, com 67% das áreas já colhidas. Em Morro Redondo e Tavares, a colheita foi encerrada; em Pedras Altas, está em 85%; em São Lourenço do Sul, Pedro Osório e Canguçu, em 80%. Os melhores rendimentos foram obtidos nas áreas implantadas com cultivares precoces, chegando a 2.100 quilos por hectare. Já nos cultivos de ciclos normais e tardios, o impacto da estiagem foi maior nos períodos críticos da cultura (floração e enchimento de grãos). As perdas médias da região são de 50% da produção esperada inicialmente.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, 95% das áreas já foram colhidas. Em Tupanciretã, a colheita está tecnicamente encerrada, e a produtividade chegou a 1.650 quilos por hectare. A produtividade média é de 1.390 quilos por hectare, com perdas de 57% em relação à inicial.

No Vale do Taquari, na de Lajeado, a colheita se encaminha para o final, chegando a 90% das lavouras já colhidas. A produtividade média está em 1.825 quilos por hectare, com redução de 47% em relação à inicial. Em Roca Sales, as perdas já acumulam 40%. Os grãos são malformados e leves. As vagens que contêm poucos grãos passam pela máquina saindo junto com a palha, o que deve aumentar as perdas, além de favorecer o aparecimento de soja germinada na resteva, que necessitará controle para o cultivo de inverno.

Mercado (saca de 60 quilos)

Segundo o levantamento semanal de preços da Emater/RS-Ascar para a soja comercializada no Estado, a cotação média foi de R$ 94,26/sc., com acréscimo de 3,71% em relação à da semana anterior.

Na região de Santa Rosa e Caxias do Sul, a soja foi cotada a R$ 93,50/sc.; em Ijuí, a R$ 92,40; em Frederico Westphalen e Erechim, a R$ 93,00; em Porto Alegre, R$ 93,20. Na regional da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo, o preço está em R$ 92,00; na de Soledade, em R$ 93,50; na de Santa Maria, em R$ 92,97. Na regional de Bagé, variou entre R$ 84,00 e R$ 98,40; na de Pelotas, entre R$ 93,00 e R$ 103,00/sc.



Fonte: Emater/RS

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares