Buscando uma correção em relação aos preços internacionais, as cotações domésticas do algodão encerram com ganhos nesta penúltima semana de setembro. Na média do CIF de São Paulo, a pluma fechou a R$ 3,13 por libra-peso no dia 24, ante R$ 3,09 por libra-peso no dia 17. Comparada ao mesmo período do mês passado, ainda acumula queda de 1,8%. Em relação à igual momento do ano passado, conta com ganhos de 27,4%.

No FOB exportação do porto de Santos (SP), a pluma era indicada a 57,07 centavos de dólar por libra-peso (c/lb) no dia 24. Quando se compara ao contrato de maior liquidez na Ice Futures, a pluma brasileira estava 12,8% mais acessível. Na véspera, a diferença era de 14,5%. Há um mês e há um ano era 9,8% e 0,75% mais acessível, respectivamente.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, esses números mostram que atual configuração de preços domésticos, câmbio e Nova York vem garantindo competitividade ao produto brasileiro. “Destaque para os subprodutos de algodão, que mesmo com a uma safra cheia, seguem com preços firmes”, acrescenta.

Para o caroço, por exemplo, mesmo em recuperação, o preço ainda é mais competitivo que o farelo de soja (concorrente na composição da proteína para dieta animal). “Por fim, é importante ressaltar que nem todos os produtores optam por utilizar o subproduto do algodão, uma vez que necessita de um bom controle nutricional para não afetar a dieta do animal”, finaliza Bento.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Rodrigo Ramos - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.