A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que o Brasil comece o ano com cerca de 9,5 mi/ton de milho. Este seria o chamado estoque de passagem de 2019 para 2020. Mas os técnicos da Companhia monitoram o mercado para saber o momento de agir casa haja problemas de abastecimento, afirmou Newton Araújo Silva Júnior, presidente da Conab.

Este ano, o Brasil deve produzir 98,7 milhões de toneladas de milho (safra 2019/2020), segundo estimativas da Companhia. O volume é um pouco inferior ao colhido na safra passada, quando o país registrou a maior exportação de milho da história, em torno de 42 mi/ton, o que teria afetado moderadamente os estoques de passagem.

“Hoje temos uma previsão de estoque de passagem na ordem de 9,5 mi/ton, o que nos leva para um quadro de oferta e demanda ajustado. Não há nenhuma preocupação, mas há um acompanhamento sistemático que a gente começa a fazer caso a gente perceba qualquer dicotomia com as nossas projeções, como uma intempérie, por exemplo, pode acontecer algum ajuste até a possibilitar alguma importação pontual”, declarou o presidente da estatal.

Segundo a Conab, no caso do Sul, os problemas climáticos já foram relativamente contornados com as chuvas recentes e com o replantio de parte da safra, mas, caso haja necessidade, reforçou-se que pode haver alguma importação pontual do grão na tentativa de forçar um equilíbrio no mercado interno.

Fonte: Bolsa Brasileira de mercadorias

Texto originalmente publicado em:
Bolsa Brasileira de mercadorias
Autor: Bolsa Brasileira de mercadorias

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.