InícioDestaqueCotações do milho seguiram batendo recordes em abril com safrinha prejudicada

Cotações do milho seguiram batendo recordes em abril com safrinha prejudicada

O mercado brasileiro de milho não saiu da linha de preços aquecidos e recordes ao longo de abril. O cenário continuou de oferta muito enxuta, com o produtor segurando o cereal, ainda mais com a manutenção das preocupações com a safrinha, diante da falta de chuvas que traz especulações maiores sobre quebra.

De acordo com o consultor de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o mercado foi pautado em abril pela severa dificuldade de abastecimento ao longo do mês de abril. “O clima foi fator preponderante nesse sentido, motivando os produtores a reter uma importante parcela de sua produção. A quebra da safrinha em muitos estados será de grande proporção”, destaca.

O abastecimento seguirá complicado até a entrada da safrinha no mercado, o que deve acontecer apenas em agosto, como salienta Iglesias. “Importações seguem como principal opção de abastecimento neste ambiente. No entanto a operação permanece dispendiosa, mesmo com as isenções de tarifas adotadas pelo governo recentemente”, aponta.

SAFRAS & Mercado revisou sua estimativa para a produção da safrinha de milho. Antes, o número estava indicado em 80,7 milhões de sacas de 60 quilos. Com os problemas climáticos, SAFRAS revisou a produção da safrinha para 70,8 milhões de sacas. Tal queda na safrinha deve manter o mercado firme em maio.

No mercado disponível ao produtor, o preço do milho em Campinas/CIF subiu na base de venda em abril de R$ 100,00 a saca para R$ 105,00, alta de 5%. Na região Mogiana paulista, o cereal avançou no comparativo de R$ 96,00 para R$ 103,00 a saca, valorização de 7,3%.

Em Cascavel, no Paraná, no comparativo mensal de abril, o preço saltou de R$ 95,00 para R$ 105,00 a saca, aumento de 10,5%. Em Rondonópolis, Mato Grosso, a cotação passou de R$ 80,00 para R$ 90,00 a saca no balanço do mês, uma subida de 12,5%. Já em Erechim, Rio Grande do Sul, houve elevação de 8,5%, com o preço passando de R$ 94,00 para R$ 102,00.

Em Uberlândia, Minas Gerais, as cotações do milho subiram no mês de R$ 85,00 para R$ 97,00 a saca na base de venda, aumento de 14,1%. Em Rio Verde, Goiás, o mercado avançou de R$ 86,00 para R$ 95,00 a saca, elevação de 10,5%.

Fonte: Agência SAFRAS

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares