InícioDestaqueCuidados com a adubação nitrogenada no trigo

Cuidados com a adubação nitrogenada no trigo

Uma das práticas de manejo mais importantes na cultura do trigo é a adubação nitrogenada. A cultura é altamente responsiva ao Nitrogênio, o que torna a adubação nitrogenada indispensável para a obtenção da altas produtividades.

Embora a quantidade de Nitrogênio armazenada na matéria orgânica do solo seja relativamente grande (em média, mais do que 1.135 kg ha-1), a quantidade decomposta desse Nitrogênio e disponível em forma assimiláveis pelas plantas é muito pequena (IPNI), o que torna necessário fertilizar o solo com Nitrogênio para suprir a demanda do nutriente pelo trigo.

Para cada tonelada de grãos, são exportadas em média 17.0 kg de nitrogênio, conforme observa-se na tabela abaixo:

Tabela 1. Necessidades nutricionais (kg de nutrientes para produzir uma tonelada de grão expresso em umidade comercial (14%) e extração (kg de nutrientes por tonelada grão). O índice de colheita representa a proporção do nutriente total absorvido pelo planta destinada a grãos.
Retirado e adaptado de: Manual del cultivo de trigo / Bernardette Abadia … [et al.];
Adubação com Nitrogênio – Semeadura

A ureia é a fonte de Nitrogênio mais utilizada para a cultura do trigo. Embora parte desse nutriente possa ser fornecido no momento na semeadura, em conjunto com os nutrientes Fósforo e Potássio (Formulações N-P-K), visando reduzir as perdas do nutriente por lixiviação, aconselha-se que a quantidade ofertada de Nitrogênio nesse momento não seja superior a 20 kg ha-1, visto que, no início do desenvolvimento do trigo, as plantas ainda possuem um limitado sistema radicular e capacidade fotossintética, o que dificulta a absorção de grandes quantidades de Nitrogênio da solução do solo.

Adubação com Nitrogênio – Cobertura

Considerando que somente parte do Nitrogênio é fornecido na semeadura do trigo, a adubação de cobertura é fundamental para suprir a demanda nutricional do trigo. No então, para potencializar o crescimento da planta e o desenvolvimento de componentes de produtividade da cultura, a adubação nitrogenada deve ser realizada em estádios específicos do desenvolvimento do trigo.

Além disso, dependendo da dose necessária de Nitrogênio, pode-se realizar o parcelamento da adubação de cobertura, para reduzir as perdas em função da lixiviação do nutriente. Segundo De Bona; De Mori; Wiethölter (2016), quando necessário o fracionamento da dose de N, a primeira parcela deve ser fornecida no afilhamento (ou perfilhamento) da cultura, e a segunda parcela no alongamento do colmo.


undefined


A disponibilidade de N no início do afilhamento (4° folha) define o número de espiguetas por espigas, e na fase final, (7° folha), determina o número de afilhos que formarão espigas férteis, ou seja, um dos principais componentes de produtividade do trigo, a quantidade de espigas por unidade de área (De Bona; De Mori; Wiethölter, 2016). Os autores ainda destacam que aplicações mais tardias de Nitrogênio (no espigamento), tecnicamente não alteram o rendimento de grãos, mas podem aumentar o teor de Nitrogênio e proteínas nos grãos, melhorando a qualidade do trigo produzido, característica desejável com o objetivo da produção de farinha.

Figura 1. Manejo nutricional da cultura do trigo.
Adaptado: De Bona; De Mori; Wiethölter (2016)

Vale destacar que doses elevadas de nitrogênio, mesmo que parceladas, podem resultar em elevado crescimento vegetal, estimulando o elongamento. Cultivares mais suscetíveis, podem acamar, ocasionado perdas de produtividade em função das dificuldades na colheita.

Em ambientes de alto teto produtivo, e cultivares suscetíveis ao acamamento, o uso de reguladores de crescimento como o trinexapac-etil  podem auxiliar na redução dos casos de acamamento, entretanto, devem ser utilizados com cautela para evitar efeitos fitotóxico à cultura.


Veja mais: Regulador de crescimento em trigo – Quando aplicar?



Referências:

BONA, F. D; MORI, C; WIETHÖLTER, S. MANEJO NUTRICIONAL DA CULTURA DO TRIGO. Informações Agronômicas, n. 154, IPNI, jun. 2016. Disponível em: <http://www.ipni.net/publication/ia-brasil.nsf/0/47520FE3CAA3AEF183257FE70048CC16/$FILE/Page1-16-154.pdf>, acesso em: 30/05/2024.

IPNI. NITROGÊNIO. IPNI, Nutri-Fatos, Informação agronômica sobre nutrientes para as plantas. Disponível em: < https://www.npct.com.br/publication/nutrifacts-brasil.nsf/book/NUTRIFACTS-BRASIL-1/$FILE/NutriFacts-BRASIL-1.pdf >, acesso em: 30;05;2024.

Manual del cultivo de trigo / Bernardette Abadia … [et al.]; compilado por Guillermo A. Divito; Fernando Oscar García; editado por Guillermo A. Divito; Fernando Oscar García. – 1a ed. compendiada. – Acassuso: International Plant Nutrition Institute, 2017. 224 p.; 28 x 19 cm. ISBN 978-987-46277-3-5.

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares