InícioDestaqueDiversificação de culturas é ferramenta de manejo de fitonematoides

Diversificação de culturas é ferramenta de manejo de fitonematoides

Os nematoides fitopatogênicos (fitonematoides) acometem a cultura da soja em deferentes estádios do seu desenvolvimento, causando danos que vão desde a redução da densidade de plantas, até a redução da produtividade e morte das plantas. Dentre as principais espécies podemos destacar o nematoide de cisto (Heterodera glycines), os nematoides de galhas (Meloidogyne spp.), o nematoide das lesões radiculares (Pratylenchus brachyurus) e o nematoide reniforme (Rotylenchulus reniformis).

Em alguns estados brasileiros, os nematoides fitopatogênicos representam um dos principais problemas fitossanitários da cultura da soja. Estima-se que, o nematoide reniforme (Rotylenchulus reniformis) ocorra em altas densidades populacionais em municípios que respondem por 29% da área cultivada com soja no MS (Debiasi et al., 2020). A elevada densidade populacional dos nematoides, em conjunto com a dificuldade de manejo dessas pragas, dificultam o controle eficiente dos nematoides, principalmente se tratando do controle direto com o uso de defensivos agrícolas.

Além de causarem danos diretos no sistema radicular da soja, Ferrari et al. (2015), destacam que a presença de fitonematoides na soja pode resultar em redução significativa da produtividade da cultura, especialmente se tratando da soja cultivada em segunda safra (safrinha).

Figura 1. Relação entre produtividade da soja (BRS Valiosa RR) e a população de P. brachyurus nas raízes da cultura.

* equação significativa (teste F, p<0,05) Fonte: Ferreira et al. (2015)

Embora os sintomas do ataque de nematoides possam variar em função da espécie infestante e do estádio em que acomete a soja, normalmente e plantas atacadas por fitonematoides apresentam redução da estatura e volume radicular em comparação a plantas sadias. A redução do volume radicular, limita o volume de solo explorado, restringindo a absorção de água e nutrientes do solo, afetando diretamente o potencial produtivo da cultura. Tendo em vista que a disponibilidade hídrica e nutricional são alguns dos principais fatores limitantes da produtividade da soja, a redução da absorção de água e nutrientes impacta diretamente a produtividade da cultura.



Figura 2. Sintomas causados por P. brachyurus nas raízes da soja: planta sadia (a) e parasitada (b).

Foto: Embrapa Soja

Levando em consideração os danos causados pelos fitonematoides e a dificuldade do controle direto deles, medidas alternativas, em especial que possibilitem o controle indireto dos fitonematoides, necessitam ser adotadas, principalmente em áreas com histórico de ocorrência, visando o controle satisfatório dos fitonematoides. Uma dessas medidas, é a diversificação de culturas.

A diversificação por meio da rotação e/ou sucessão com culturas não hospedeiras reduz a população e os danos ocasionados à soja pelos nematoides de cisto (Heterodera glycines), de galhas (Meloidogyne spp.), o reniforme (Rotylenchulus reniformis) e o das lesões radiculares (Pratylenchus brachyurus) (Debiasi et al., 2020). Além das tradicionais espécies de crotalária, utilizadas com esse intuito, outras culturas também desempenham ação antagonista a fitonematoides.

Dentre as espécies para diversificação de culturas, com capacidade em atuar no manejo de fitonematoides, pode-se destacar plantas de cobertura tradicionais como a aveia preta, o nabo forrageiro, braquiária e sorgo forrageiro. Entretanto, cabe destacar que a ação antagonista dessas plantas, pode estar condicionada a espécie do nematoide, logo, a identificação da praga é fundamental para o adequado posicionamento das culturas não hospedeiras.

Tabela 1. Culturas para formação de palhada no SPD e efeitos sobre os fitonematoides*.

* Verde escuro mostra que a cultura não é hospedeira, reduzindo, portanto, a população do nematoide; branco indica que a cultura é boa hospedeira e aumenta a população do nematoide; verde claro é utilizada para coberturas que são más hospedeiras ou que apresentam respostas variáveis (varia de cultivar para cultivar) Fonte: Inomoto & Asmus (2009).

Veja mais: Soja após Crotalária – aumento da produtividade e controle de nematoides


Foto de capa: TMG

Referências:

DEBIASI, H. et al. DIVERSIFICAÇÃO DE ESPÉCIES VEGETASI EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO. Embrapa, Tecnologias de Produção de Soja, cap. 5, 2020. Disponível em: < https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1123928/tecnologias-de-producao-de-soja >, acesso em: 19/08/2022.

DIAS, W. P. et al. NEMATOIDES EM SOJA: IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE. Embrapa, Circular Técnica, n. 76, 2010. Disponível em: < https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/854178/1/CT76eletronica.pdf >, acesso em: 19/08/2022.

FERRARI, E. et. al. POPULAÇÃO DE Pratylenchus brachyurus NO CULTIVO DE SOJA SOBRE SOJA E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS. Resumos da IV Jornada Científica da Embrapa Agrossilvipastoril, 2015. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/142828/1/pages11-15.pdf >, acesso em: 19/08/2022.

INOMOTO, M. M.; ASMUS, G. L. CULTURAS DE COBERTURA E DE ROTAÇÃO DEVEM SER PLANTAS NÃO HOSPEDEIRAS DE NEMATOIDES. Visão Agrícola, n. 9, 2009. Disponível em: < https://www.esalq.usp.br/visaoagricola/sites/default/files/VA9-Protecao04.pdf >, acesso em: 19/08/2022.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares