Neste ano, além do preço atrativo para o mercado internacional, a finalização da BR-163 fortificou as exportações da soja brasileira. Com a conclusão da obra, o Brasil se tornou mais competitivo no que se refere ao escoamento do grão e, com isso, o preço disponível da soja em algumas cidades de Mato Grosso passou por modificações.

Um bom exemplo a citar são os municípios de Sinop e Sorriso, que apresentaram elevações de 55,32% e 53,75% no preço médio disponível de maio/20 ante a maio/19, respectivamente, evidenciando uma alta maior do que a média geral do estado (52,01%).

Estas mudanças são reflexo do menor custo para transportar o grão para os portos do arco norte, como ocorreu com o frete de origem em Sorriso e destino a Miritituba (trecho realizado pela BR-163), que registrou queda de 10,26% na média de maio/20 ante a média para o mesmo período dos últimos cinco anos.

Confira agora os principais destaques do boletim:

• O Indicador Imea-MT recuou 3,70% na média da última semana, devido, principalmente, à queda do dólar e à redução das cotações na Bolsa de Chicago (CME-Group).

• A desvalorização do dólar perante o real também pressionou o preço da paridade exportação, que registrou queda semanal de 5,23%, cotado a R$ 83,90/sc.

• Com a forte demanda internacional pela soja brasileira, que refletiu no avanço das exportações nos últimos meses, o prêmio em Santos avançou 1,43% na semana, atingindo US$ 0,85/bu.

• A amenização dos conflitos políticos no Brasil e o afrouxamento das medidas de isolamento social no mundo pautaram a desvalorização do dólar na semana, que fechou com média de R$ 5,37/US$, redução de 5,03%

“Vendemos Dólar?”:

O preço em dólar recebido pelos produtores de MT ao final de cada safra reduziu 31,77% desde a safra 12/13 até a safra atual (19/20). Já a safra futura (20/21) está sendo comercializada a valores ainda menores.

Para se ter uma ideia, nos EUA os produtores estão recebendo preços 39,24% menores nesse mesmo período, pois ganharam US$ 14,40/bu na safra 12/13 e agora estão recebendo em média US$ 8,75/bu (USDA). Porém, com a valorização do dólar nos últimos anos, a saca de soja, em reais, vem batendo recorde de alta (nominal), o que auxiliou o produtor mato-grossense a aumentar o valor recebido pela sua produção nas últimas safras.

Em maio, por exemplo, o dólar (Ptax) chegou a atingir R$ 5,94/US$ e a soja disponível em MT chegou aos patamares de R$ 99,53/sc, o que acelerou as vendas da oleaginosa por aqui, ao mesmo tempo que atraiu compras da China, que vem pagando cada vez menos, em dólar, pela soja brasileira.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.