O nitrogênio é um dos macronutrientes mais requeridos pelas plantas, estando envolvido em vários processos bioquímicos e metabólicos. Assim como outras culturas, a soja demanda muito nitrogênio, sendo que para cada tonelada de grãos produzidos são extraídos em média 82 kg.ha-1 e exportados aproximadamente 61 kg.ha-1 de nitrogênio.

O fornecimento de todo nitrogênio necessário para altas produtividade de soja via fertilizantes nitrogenados implicaria em enormes custos de produção na cultura, entretanto, a simbiose entre a planta de soja e bactérias fixadoras de nitrogênio do gênero Bradyrhizobium decorrente do processo de inoculação pode fornecer todo nitrogênio necessário para boas produtividades da cultura de forma prática e menos onerosa.

Segundo dados da Embrapa, o processo de inoculação da soja promove cerca de 8% de aumento na produtividade da cultura, já o processo de coinoculação da soja com bactérias do gênero Azospirillum proporciona um aumento de produtividade de mais 8%. As bactérias do gênero Azospirillum atuam no crescimento vegetal, especialmente nas raízes das plantas, promovendo crescimento radicular e aumentando o volume de solo explorado. Além disso, essas bactérias influenciam na nodulação da soja, proporcionando significativas contribuições no número e massa de nódulos.



A inoculação ou coinoculação da soja pode ser feita a nível de fazenda ou de indústria, entretanto quando a inoculação é realizada na indústria, é necessário cautela com o transporte e armazenamento das sementes até a semeadura da soja, visto que condições inadequadas de umidade e temperatura podem comprometer a sobrevivência e viabilidade das bactérias.

Outra alternativa é realizar a inoculação ou coinoculação no sulco de semeadura, promovendo maior contato semente/solo/bactéria e favorecendo os processos simbióticos e associativos da planta com as bactérias. Sendo assim, pode-se dizer que a inoculação ou coinoculação da soja é uma ferramenta indispensável para a rentabilidade e sustentabilidade do cultivo, trazendo vantagens muito superiores ao custo de realização da prática.

Confira o texto completo sobre inoculação e coinoculação da soja clicando aqui!



Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.