No dia 17 de dezembro de 2020, a Rede Técnica Cooperativa – RTC e CCGL realizaram o IV Agronomy Tour, o qual ocorreu de forma on-line e transmitido nos canais do YouTube da RTC e Facebook.

O evento teve como objetivo transmitir informação de qualidade, possibilitando com que o produtor rural e/ou técnicos envolvidos no processo de produção possam aplicá-las de forma a aumentar a produtividade e rentabilidade da lavoura.

Durante o evento foram abordados os temas:

  • Eficiência dos Corretivos de Acidez do Solo em Sistema Plantio Direto – Dr. Jackson E. Fiorin
  • A Lógica do Sistema de Produção na Construção da Qualidade do Solo – Dr. Tiago Hörbe
  • Como Mitigar o Prejuízo Causado Pelas Plantas Daninhas – Dr. Mario Bianchi
  • Assertividade no Manejo de Doenças da Soja – Dr. Caroline Wesp Guterres

Segundo Jackson Fiorin, a acidez do solo é um fator ainda preocupante na agricultura, sendo prejudicial para a obtenção de altas produtividades. Jackson destaca que com base em um diagnóstico de fertilidade em base de mais de 114 mil análises de fertilidade do solo, certa de 87% das lavouras do Rio Grande do Sul necessitam de correção da acidez do solo, destacando a importância do tema.

Fiorin explica que existem diferentes corretivos para uso na correção do pH do solo, variando desde os tradicionais como o Calcário até alguns resíduos industriais. Jackson abordas as principais características dos calcários e chama atenção para algumas particularidades como a solubilidade dos mesmo e qualidade física. Fiorin ainda demonstra alguns resultados de pesquisa em que é possível observar a influência da qualidade e quantidade do corretivo na produtividade da soja.

Figura 1. Produtividade da soja em resposta a doses de calcário e óxidos.

Fonte: Rede Técnica Cooperativa – RTC

Dando sequência no IV Agronomy Tour, o Dr. Tiago Hörbe aborda a lógica do sistema de produção na construção da qualidade do solo. Tiago explica que visando altas produtividades, é essencial atentar para a produtividade observada na lavoura e o potencial produtivo da cultivar, visando identificar fatores responsáveis pela redução da produtividade e identificar o potencial atingível dentro das condições ofertadas para o cultivo.



A partir da determinação da lacuna de produtividade, Tiago destaca que é possível a definição de tomadas de decisão estratégicas, táticas e operacionais, visando o aumento da produtividade da soja.

Figura 2. Possíveis tomadas de decisão visando o aumento da produtividade da soja.

Fonte: Rede Técnica Cooperativa – RTC

Tiago comenta que “montar um sistema de produção bem equilibrado é fundamental para que se tenha boa rentabilidade”, visualizando a lavoura como um sistema produtivo, não só atentando para as culturas de verão, mas também para as culturas de inverno. Segundo Hörbe, para um sistema equilibrado é necessário que haja sinergismo entre as culturas de inverno e verão, sinergismo esse que deve estar relacionado a construção da qualidade do solo, possibilitando além do aumento da produtividade, o aumento da rentabilidade do cultivo.

Dando continuidade no IV Agronomy Tour, Mario Bianchi explica como mitigar o prejuízo causado pelas plantas daninhas. Segundo Mario, uma das principais estratégias para o controle de plantas daninhas é a boa cobertura do solo, Bianchi demonstra a eficiência da cobertura no solo no controle das daninhas.

Figura 3. A esquerda, área com cobertura do solo, a direita, área sem cobertura do solo.

Fonte: Rede Técnica Cooperativa – RTC

Com relação a aplicação de herbicidas, além da aplicação geral, existem ferramentas que possibilitam a aplicação direcionada de herbicidas, sendo esses, aplicados apenas em plantas daninhas, resultando em uma aplicação mais eficiente e econômica. Outra ferramenta interessante, possibilita a aplicação de herbicidas no momento da colheita, possibilitando o controle precoce de plantas daninhas já estabelecidas na lavoura ou o uso de pré-emergentes no momento da colheita. Para maior detalhamento clique aqui e confira a IV Agronomy Tour.

Abordando a assertividade no manejo de doenças da soja, a Dr. Caroline Wesp Guterres explica que independente da safra, deve-se atentar para as condições climáticas, principalmente as que possibilitam a maior incidência de doenças. Caroline chama atenção para a importância da primeira aplicação de fungicidas no manejo de doenças da soja, garantindo boa sanidade ao longo do ciclo e boa produtividade da cultura.


Veja também: Carboxamidas e Fungicidas Protetores – ferramentas fundamentais no manejo da resistência a fungicidas


Além das características da cultivar e condições climáticas, Guterres destaca que a utilização do fungicida adequado é de extrema importância para um manejo eficiente de doenças da soja, assim como o momento da primeira aplicação dos fungicidas.

Figura 4. Produtividade da soja em função do momento da primeira aplicação de fungicidas.

Fonte: Rede Técnica Cooperativa – RTC

Com relação a ocorrência de doenças na safra 2020/2021, Caroline destaca que possivelmente o oídio seja a doença com maior ocorrência em virtude das condições climáticas.

Para melhor detalhamento desse e dos outros temas abordados aqui, confira abaixo a IV Agronomy Tour.


Inscreva-se agora no Canal Rede Técnica Cooperativa – RTC clicando aqui!


Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.