O manejo de doenças da soja vem se tornando cada vez mais difícil em virtude da capacidade dos patógenos em se desenvolver de forma rápida, e também por alguns apresentarem certa resistência ou tolerância a produtos utilizados no manejo fitossanitário da soja. Doenças como a ferrugem-asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi), além de provocar severas injurias na planta, podem proporcionar drástica redução da produtividade da cultura, e em casos mais severos, até mesmo inviabilizar o cultivo. Segundo Godoy et al. (2020), os danos ocasionados pela ferrugem-asiática podem variar de 10 a 90% dependendo da intensidade e severidade da doença.

Além das boas práticas agronômicas, visando um manejo eficiente da ferrugem-asiática, o Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas – FRAC, recomenda que todo programa de controle da ferrugem deve ser iniciado de forma preventiva à ocorrência da doença.

O mesmo pode ser aplicado para o manejo da resistência e controle de outras doenças da soja, visando reduzir a interferência dessas na produtividade e qualidade da soja cultivada.

Em vídeo, o Professor Marcelo Madalosso chama atenção para a aplicação preventiva de fungicidas. Segundo Marcelo, “o fungicida precisa entrar preventivamente e ter uma ação de proteção de área verde”. Madalosso explica que promover boa proteção, ou seja, fazer com que o produto atinja as folhas do terso inferior (baixeiro), é essencial para reduzir a pressão de inoculo sobre a planta e consequentemente promover maior sanidade para as folhas do terço médio e superior da planta.

Figura 1. Qualidade da cobertura de aplicação em função da época de aplicação.

Fonte: Rede Técnica Cooperativa – RTC, CCGL.

Sendo assim, a primeira aplicação exerce efeito fundamental no manejo de doenças da soja, portanto, deve ser realizada preferencialmente antes do fechamento das entrelinhas de cultivo, visando alcançar as folhas baixeira e promover efeito protetor, reduzindo a pressão de inoculo nas folhas superiores. Para isso, deve-se utilizar produtos registrados para a cultura, sendo o uso de fungicidas protetores e multissítios uma alternativa interessante para a primeira aplicação.


Veja também: Carboxamidas e Fungicidas Protetores – ferramentas fundamentais no manejo da resistência a fungicidas


Confira abaixo as dicas do professor Marcelo Madalosso e veja como aumentar a proteção da sua lavoura.


Se inscreva agora no Canal do Madalosso clicando aqui!!!



Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.