O trabalho a seguir foi publicado na 42° Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul em 2018 com os autores: 

Eduardo Engel1*, Mauricio Paulo Batistella Pasini1, Henrique Pimentel Beutler1

Universidade de Cruz Alta, Rodovia Jacob Della Méa, Parada Benito, CEP: 98005-972, Cruz Alta, RS. (*) Autor para correspondência: agron.engel@gmail.com.

A soja [Glycine max (L.) Merrill] tem uma posição proeminente na economia brasileira, com uma produção anual superior a 95 milhões de toneladas. Sendo assim, em comparação com outros países, o Brasil está posicionado como o segundo maior produtor de soja, tendo aproximadamente 30% da produção global (CONAB, 2017).

 A região de Cruz Alta, RS é conhecida por sua produção em larga escala da cultura da soja, desta forma está sujeita ao ataque de pragas que tem como hospedeira esta espécie de planta. Entre as pragas mais importantes ocorrentes para cultura da soja, podem-se destacar os percevejos e o complexo de lagartas desfolhadoras, nesta região há crescente ocorrência de surtos populacionais de lagartas pertencentes a espécie Chrysodeixis includens (Lepidoptera, Noctuidae), isso está associado a adaptação que esta espécie tem adquirido às formas de manejo, principalmente pela resistência aos princípios ativos aplicados (OLIVEIRA et al., 2010).



Outro fator que dificulta medidas de controle químico é a disposição desta praga nas plantas de soja, tendo por comportamento habitual estar abrigada nos terços médio e inferior das plantas, o que dificulta a chegada de produtos fitossanitários por meio de pulverizações (SPECHT et al., 2015). Informações sobre ocorrência de parasitoides de lagartas desfolhadoras para a região de Cruz Alta, RS, são escassas, fazendo com que seja de importância econômica conhecer a ocorrência destes organismos em áreas de cultivo, uma vez que determinadas espécies podem fazer parte de programas de controle biológico, tornando o agroecossistema da região mais sustentável. Desta forma, o trabalho teve por objetivo identificar a ocorrência de Copidosoma spp. em lagartas da espécie Chrysodeixis includens.

O trabalho foi realizado na Área Experimental da Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ), com clima de acordo com a classificação de Koppen do tipo Cfa (KUINCHTNER; BURIOL, 2016). Durante a safra 2017/2018 foi feito levantamento populacional em área cultivada com soja, variedade 5909 cultivada de acordo com as recomendações técnicas, exceto pela não ocorrência das aplicações de inseticidas, buscando identificar indivíduos da espécie Chrysodeixis includens parasitados por inimigos naturais e sadios. As amostras consistiram de 1 metro quadrado através do método do pano de batida, desta forma foi possível realizar o levantamento da população de C. includens.

Depois de identificados e quantificados os indivíduos foram levados ao Laboratório de Entomologia – UNICRUZ e colocados separadamente em caixas plásticas do tipo gerbox com papel filtro e alimento adequado (folhas de soja), sendo o alimento trocado a cada dois dias. Após a eclosão dos parasitoides adultos, estes foram identificados.



Durante o estudo foram identificadas lagartas da espécie Chrysodeixis includens parasitadas por inimigos naturais do gênero Copidosoma sp. (Hymenoptera: Encyrtidae) (Figura 1). Formas alternativas de manejo se fazem necessárias mediante este cenário, dentro do manejo integrado de pragas (MIP) há a inserção de inimigos naturais como agentes de controle sejam estes ocorrentes de forma natural na área de cultivo ou através de liberação em áreas não colonizadas. O sucesso na redução de uma praga por meio do controle biológico depende da eficácia de seus inimigos naturais, o impacto deles sobre a praga alvo está relacionado com a densidade e sua habilidade em encontrar e atacar seus alvos (MENEZES et al., 2017).

Figura 1. Chrysodeixis includens parasitada por Copidosoma sp. coletadas na Área Experimental da Universidade de Cruz Alta, RS, safra 2017/2018. Imagens: Eduardo Engel.

De acordo com os resultados obtidos verifica-se maior necessidade de monitoramento para identificação de potenciais inimigos naturais presentes na região, podendo-se otimizar o manejo a partir do uso do controle biológico de conservação, reduzindo assim a utilização de princípios ativos sintéticos para cultura da soja.

Referências

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). Soja, safra 2016/2017. Disponível em: http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/17_05_12_10_37_57_boletim_graos_maio_2017.pdf. Acesso em: 23 de maio de 2017.

KUINCHTNER, A.; BURIOL, G. A. Clima do Estado do Rio Grande do Sul segundo a classificação climática de Köppen e Thornthwaite. Disciplinarum Scientia|Naturais e Tecnológicas, v. 2, n. 1, p. 171-182, 2016.

MENEZES, K.O.; FERNANDES, M.H.A; PAZ, H.H.R.; SOUZA, A.M.; TORRES, J.B.; OLIVEIRA, J.E.M. Parasitismo da cochonilha-farinhenta Planococcus citri (Hemiptera: Pseudococcidae) por Coccidoxenoides perminutus (Hymenoptera: Encyrtidae). Revista Ceres, Viçosa, v. 64, n.5, p. 486-491, set/out, 2017.

OLIVEIRA, J. R.G.; FERREIRA, M.C.; ROMÁN, R.A.A. diferentes diâmetros de gotas e equipamentos para aplicação de inseticida no controle de Pseudoplusia includens. Engharia Agrícola, Jaboticabal, v.30, n.1, p.92-99, jan./fev. 2010.

SPECHT, A.; MORAES, S.V.P.; SOSA-GÓMEZ, D.R. Host plants of Chrysodeixis includens (Walker) (Lepidoptera, Noctuidae, Plusiinae). Revista Brasileira de Entomologia 59, 2015, 343–345.

Autores:

Eduardo Engel – Laboratório de Entomologia da Universidade de Cruz Alta/ Grupo de Pesquisa em Fitotecnia – UNICRUZ.

Eng. Agr. Dr. Mauricio P. B. Pasini – Coordenador do Laboratório de Entomologia e da Área Experimental da Universidade de Cruz Alta/ Grupo de Pesquisa em Fitotecnia – UNICRUZ. Consultor e pesquisador na INTAGRO Pesquisa e Desenvolvimento.

O Grupo de Pesquisa em Fitotecnia liderado pelos Professores Dr. Mauricio P. B. Pasini e Msc. José Luiz Tragnago trabalha com temas como: bioclimatologia e ecofisiologia dos cultivos agrícolas, fitossanidade, irrigação e drenagem e manejo de cultivos agrícolas. Você pode conferir os trabalhos realizados clicando aqui.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.