Nos cultivos de inverno, assim como nos cultivos de verão, o controle de plantas daninhas é essencial para evitar a competição por nutrientes do solo, água e radiação solar. Principalmente nas regiões Sul do Brasil, onde o inverno é bem definido, uma planta daninha é frequentemente encontrada em meio aos cultivos de inverno como trigo, aveia, cevada, entre outros.

Trata-se do Raphanus raphanistrum conhecido popularmente como “nabo ou nabiça”, é uma planta de ciclo anual, de porte ereto, com altura média variando entre 60 e 100 cm, tem como fruto síliquas, as quais protegem suas sementes (AGRO BAYER BRASIL).

Figura 1. Raphanus raphanistrum.

Fonte: LORENZI (2014).

Sua interferência pode comprometer a produtividade dos cultivos de inverno pois a planta apresenta alta capacidade competitiva. Em vídeo, o Pesquisado do Grupo Supra Pesquisa e Professor de Universidade Federal do Paraná, Alfredo Albrecht, demonstra a capacidade germinativa da espécie em áreas cujas condições favorecem sua germinação.

Além disso, os fluxos de emergência da planta daninha nem sempre são homogêneos, resultando em plantas “desparelhas” na área, o que dificulta seu controle.

Alfredo comenta que um dos principais agravantes da planta daninha é o fato dela apresentar “resistência a inibidores de ALS”, o que torna seu controle “um pouco mais complicado”. Alfredo destaca que em estádios iniciais do seu desenvolvimento (figura 3) o controle é mais facilitado, especialmente quando se utiliza herbicidas reguladores de crescimento como auxínicos (2,4-D).

Figura 2. Alfredo demonstra plantas de nabo em estádio inicial do seu desenvolvimento.

Figura 3. Planta de nabo em estádio inicial do seu desenvolvimento.

Fonte: LORENZI (2014).

Contudo, Albrecht enfatiza que é importante cuidado quanto a dose de herbicida utilizado, visto que doses mal administradas podem causar danos na cultura principal ou ocorrer um controle ineficiente do nabo. O nabo é uma espécie que apresenta rápido desenvolvimento e alta capacidade germinativa, havendo sementes viáveis no banco de sementes do solo e condições favoráveis para sua germinação, pode ocorrer a formação de fluxos de emergência e grandes populações da planta daninha podem se formar nas áreas de cultivo. É fundamental pensar em estratégias de manejo que possibilitem o controle eficiente da planta daninha e a diminuição do banco de sementes do solo.

Confira abaixo o vídeo com as contribuições do Professor Alfredo Albrecht.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrecht, aqui.



Veja também: Azevém, Buva e Capim-amargoso: plantas resistentes foram tema de Webinar


Referências:

AGRO BAYER BRASIL. NABO: Raphanus raphanistrum. Agro Bayer Brasil, disponível em: < /h/ttps://www.agro.bayer.com.br/alvos/nabo-raphanus-raphanistrum#tab-2>, acesso em:18/06/2020.

LORENZI, H. MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS: PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL. Instituto Plantarum, ed. 7, 2014.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.