O mercado brasileiro de soja deve dar continuidade hoje ao movimento de ascendência nos preços, que predomina neste início de 2021. Chicago volta a subir, assim como o dólar, cenário que indica alta nos preços e gradual recuperação no ritmo dos negócios.

Na sexta, o mercado brasileiro de soja teve mais um dia de subidas nas cotações, encerrando a primeira efetiva semana de negócios no Brasil. Com a oleaginosa na Bolsa de Chicago e o dólar subindo, a soja voltou a avançar em valores no país.

O dia foi de negócios moderados. Entre as cerca de 50 mil toneladas reportadas como trocando de mãos no dia, houve reporte de cerca de 15 mil toneladas movimentadas em Minas Gerais, e em torno de 6 mil toneladas em Mato Grosso do Sul.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 162,00 para R$ 163,00 a saca. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 159,00 a saca para R$ 161,00. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 164,00 para R$ 165,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 159,00 para R$ 161,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 164,00 para R$ 168,00 a saca.

Em Rondonópolis (MT), a saca avançou de R$ 154,00 para R$ 155,00 a saca. Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 155,00 para R$ 155,50 a saca. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 165,00 a saca.

Comercialização 

A comercialização da safra 2020/21 de soja do Brasil envolve 57,7% da produção projetada, conforme relatório de SAFRAS & Mercado, com dados recolhidos até 8 de janeiro. No relatório anterior, com dados de 4 de dezembro, o número era de 56,5%.

Em igual período do ano passado, a negociação envolvia 43,1% e a média para o período é de 38,6%. Levando-se em conta uma safra estimada em 132,498 milhões de toneladas, o total de soja já negociado é de 76,381 milhões de toneladas.

As negociações pouco evoluíram em dezembro, mas seguem bem acima da média. Os produtores aproveitaram os bons preços praticados ao longo do ano passado e adiantaram as vendas antecipadas.

A venda para 2019/20 subiu de 98,9% no início de novembro para 99,9%. A comercialização está acelerada na comparação com o ano anterior, quando o índice era de 98,5%, e também supera a média normal para o período, de 97,3%.

Com a safra projetada em 125,619 milhões de toneladas, o total já negociado por parte dos produtores chega a 125,433 milhões de toneladas.

Chicago 

Os contratos com vencimento em março operam com alta de 0,54%, cotados a US$ 13,82 1/4 por bushel.

O mercado busca suporte na possível oferta apertada na América do Sul, devido a problemas climáticos, e na boa demanda pela soja norte-americana.

Os agentes também se posicionam frente ao relatório de janeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que será divulgado nesta terça (12).

O sentimento é de um aperto ainda maior nas previsões para os estoques de passagem, tanto dos EUA como mundiais.

Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em estoques dos EUA em 135 milhões de bushels. Em dezembro, a previsão ficou em 175 milhões.

Para a safra, o mercado aposta em projeção sendo reduzida para 4,155 bilhões de bushels. No relatório anterior, o número ficou em 4,170 bilhões de bushels.

A previsão para os estoques finais globais em 2020/21 é de 83 milhões de toneladas, contra 85,6 milhões projetados no mês passado pelo Departamento.

Os estoques trimestrais norte-americanos de soja na posição 1o de dezembro deverão ficar abaixo do número indicado pelo Departamento em igual período do ano anterior.

A projeção é de analistas e corretores entrevistados pelas agências internacionais, que indicam estoques trimestrais de 2,904 bilhões de bushels.

Em igual período do ano anterior, o número era de 3,252 bilhões de bushels. Em 1 de setembro, data do relatório anterior, os estoques estavam em 523 milhões de bushels.

Prêmios 

O prêmio em Paranaguá para janeiro ficou em 45 a 145 pontos acima de Chicago. Para fevereiro, o prêmio é de 67 a 70 pontos acima.

Câmbio 

O dólar comercial apresenta valorização de 1,1% neste momento, cotado a R$ 5,478.

Indicadores financeiros 

  • As principais bolsas da Ásia encerraram mistas. Xangai, -1,08%. Tóquio, feriado.
  • As principais bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -0,46%; e Londres, -0,46%.
  • O petróleo opera em baixa. Fevereiro do WTI em NY: US$ 51,95 o barril (-0,55%).
  • O Dollar Index registra alta de 0,42%, a 90,48 pontos.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Dylan Della Pasqua - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.