Por: Ascom/Anvisa

A Anvisa encerrou a reavaliação toxicológica do agrotóxico Tiram na última terça-feira (26/11). O produto é utilizado no tratamento de sementes e no plantio da cultura da batata. O processo teve início em janeiro de 2016, com a Consulta Pública 128.

A conclusão da Anvisa foi pela proibição do uso do Tiram na forma em pó para tratamento de sementes nas propriedades agrícolas. O uso dessa forma será permitido somente nas indústrias de tratamento de sementes.

A aplicação foliar, que normalmente deixa mais resíduos nos alimentos do que o tratamento de sementes, já não era autorizada no Brasil e agora foi proibida de forma definitiva.

Como se trata de um produto utilizado ainda na etapa de plantio, não se espera resíduos dessa substância nos alimentos que vão para a mesa do consumidor.

A equipe técnica da Anvisa também definiu o limite de exposição para o trabalhador rural, já que este é um parâmetro fundamental para avaliar o risco a este segmento. Além disso, para proteção dos agricultores, a embalagem do agrotóxico vai trazer, em sua rotulagem, o alerta de danos ao fígado pela exposição repetida ou prolongada. Esse tipo de alerta já faz parte do novo marco regulatório de agrotóxicos aprovado este ano pela Anvisa e serve para informar melhor sobre o perigo aos trabalhadores rurais.

Fonte: Anvisa

Texto originalmente publicado em:
Anvisa
Autor: Anvisa

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.