A ferrugem-asiática causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi é uma das principais doenças da cultura da soja. Segundo Godoy et al. (2019), a doença pode causar danos entre 10 a 90% na soja, sendo os principais sintomas observados nas plantas, a presença de pequenas lesões foliares de coloração castanha a marrom-escura na parte superior da folha e urédias na parte inferior das folhas.

Dependendo do nível de infecção da doença, as plantas podem apresentar desfolha prematura, comprometendo a produção de fotoassimilados e reduzindo drasticamente a produtividade de grãos e/ou sementes de soja.

Além do monitoramento da doença e posicionamento de fungicidas, outras ferramentas podem auxiliar o sojicultor no manejo da ferrugem-asiática, sendo uma delas a utilização de cultivares com a tecnologia INOX®. Em vídeo o professor da UTFPR – Campus Santa Helena, Daniel Debona explica que a tecnologia INOX® confere resistência a ferrugem-asiática da soja.



A tecnologia é uma interessante ferramenta no manejo da ferrugem-asiática da soja, conforme destacado por Debona, diferentemente das cultivares suscetíveis a ferrugem-asiática que apresentam lesões  do tipo TAN quando infectadas pela doença, as cultivares com a tecnologia INOX® apresentam lesões do tipo RB (figura 1), ou seja, “lesões com baixa ou nenhuma esporulação do fungo”, possibilitando que a doença evolua de forma mais lenta.

Figura 1. Lesão RB (marrom-avermelhado) característica de cultivar de soja com gene(s) de resistência a ferrugem-asiática.

Figura 2. Da esquerda para a direita, planta de soja com resistência completa a ferrugem-asiática, suscetível a ferrugem-asiática e com a tecnologia INOX®.

Embora cultivares com a tecnologia INOX® apresentam maior resistência a ferrugem-asiática da soja, Debona enfatiza que o manejo da doença não deve ser flexibilizado, nem tão pouco minimizado. O controle químico com o emprego de fungicidas é indispensável até mesmo em cultivares INOX®, visto que a ampla variabilidade genética dos fungos pode comprometer a viabilidade da tecnologia se não manejada de forma adequada.

Uma das principais vantagens da utilização de cultivares INOX®, está relacionada a menor velocidade de evolução da doença, causando menores danos na soja e permitindo certa flexibilização quando ao tempo de aplicação de produtos. Em condições de campo, em virtude de condições climáticas ou operacionais, nem sempre é possível realizar as aplicações de fungicidas estabelecidas no manejo de doenças da soja no período recomendado, nesse senário a tecnologia INOX® possibilitam menores danos em decorrência do atraso das aplicações.

Daniel chama atenção para o manejo de manchas foliares em cultivares INOX®, uma vez que a tecnologia não confere resistência a fungos necrotróficos como os causadores de manchas foliares, podendo essas causarem perdas significativas na produtividade da soja. Sendo assim, o uso da tecnologia INOX® não dispensa o uso de fungicidas no manejo de doenças da soja.

Confira o vídeo abaixo com as explicações do Professor Daniel Debona.


Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)


 

Referências:

GOGOY, C. V. et al. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DA FERRUGEM-ASIÁTICA DA SOJA, Phakopsora pachyrhizi, NA SAFRA 2018/19: RESULTADOS SUMARIZADOS DOS ENSAIOS COOPERATIVOS. Embrapa, Circular Técnica, n. 149, 2019.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.