A semeadura da soja safra se aproxima, e com ela inúmeras decisões que podem ou não contribuir para o sucesso produtivo. Além do planejamento do sistema de produção, bem como o período de semeadura da soja, a análise química da fertilidade do solo e sua correção, fatores como a escolha da cultivar, a compra de sementes, o tratamento dessas sementes e o processo de inoculação, podem estar diretamente relacionados com a boa produtividade da lavoura e sua rentabilidade.

Em vídeo no canal Soja Radar da Tecnologia, o pesquisador da Embrapa Ademir Assis Henning destaca a importância do tratamento de sementes para a cultura da soja.

Segundo Ademir, além da aquisição de sementes de qualidade, é fundamental realizar o tratamento de sementes com fungicidas de contato e sistêmicos, inseticidas e/ou nematicidas caso sejam necessários para promover proteção à semente. Se tratando de doenças, no início do desenvolvimento da soja, a plântula está sujeita a ao ataque de patógenos que podem causar sérios danos a cultura, comprometendo até mesmo o estande de plantas.



Sendo assim, o tratamento de sementes é fundamental para evitar perdas significativas de plantas no início do desenvolvimento da soja, especialmente sobre o ataque de doença fungicas e pragas de início de ciclo.

Veja também: O que acontece na soja? #1 – VE – emergência da soja

Além da utilização e produtos protetores, Henning destaca que é possível a adição de micronutrientes no tratamento da sementes, tais como Cobalto e Molibdênio. Segundo Sfredo & Oliveira (2010), ambos os micronutrientes apresentam relação positiva com o aumento da produtividade da soja, estando ambos relacionados a processos metabólicos da planta. A participação do Mo como cofator nas enzimas nitrogenase, redutase do nitrato e oxidase do sulfeto, está intimamente relacionada com o transporte de elétrons durante as reações bioquímicas, já o Co é essencial para a fixação do N2, pois participa na síntese de cobamida e da leghemoglobina nos nódulos. (Sfredo & Oliveira, 2010).

Conforme abordado por Henning, o tratamento de sementes pode ser realizado na propriedade (on farm), ou pode ser industrial. Nesse último as sementes já são adquiridas da indústria tratadas, ambos os tratamentos apresentam vantagens e desvantagens, logo, é fundamental atentar para o objetivo do produtor.

O tratamento industrial apresenta maior uniformidade, conferindo maior proteção a sementes, além disso micronutrientes, enraizadores a afins podem ser oferecidos como “pacotes”, contudo quando adquirida a semente já inoculada deve-se dar atenção ao transporte e armazenamento das mesmas, visto que elevadas temperaturas e umidade inadequada pode comprometer a sobrevivência das bactérias fixadoras de nitrogênio.



Com relação ao tratamento on farm, o pesquisador destaca que é fundamental atentar para o volume de calda, não ultrapassando 600 a 800 mL por 100 kg de sementes. Outro cuidado está relacionada a utilização de produtos biológicos, esses por sua vez devem ser aplicados no sulco de semeadura, não sendo misturados a inseticidas e fungicidas no processo de tratamento de sementes.

Confira abaixo as dicas do pesquisador da Embrapa Ademir Assis Henning.


Inscreva-se no canal: Radar da Tecnologia Soja clicando aqui!!!


Referências:

SFREDO, G. J.; OLIVEIRA, M. C. N. SOJA: MOLIBDÊNIO E COBALTO. Embrapa, Documentos, n. 322, jul. 2010. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18872/1/Doc_322_online1.pdf>, acesso em: 11/09/2020.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.