Objetivos do presente trabalho:

(i) avaliar o desempenho de cultivares e populações F2;

(ii) estimar a capacidade geral de combinação (CGC) e capacidade específica de combinação (CEC);

(iii) identificar populações promissores para o desenvolvimento de novas cultivares visando o aumento de produtividade de grãos na cultura da soja.

Autores: Emanuel Ferrari do Nascimento¹; Andreia Schuster²; Leonardo Lopes Bhering³; Felipe Lopes da Silva³

Introdução 

Considerada a principal leguminosa cultivada no Brasil, a soja (Glycine Max (L.) Merrill) exerce grande representatividade na balança comercial brasileira. A extensa área plantada e sua crescente produtividade conferem ao país a posição de segundo maior produtor mundial desta cultura. O Brasil apresenta as melhores condições para o incremento de produção dessa commodity (Colombo et al., 2018). Nos últimos 20 anos, a produção do grão saltou de 38 milhões em 2000/2001 para 120,4 milhões de toneladas na safra 2019/2020 (CONAB, 2019).

O melhoramento genético contribui para o progresso produtivo da soja com a obtenção de novas cultivares por meio da seleção e recombinação de materiais superiores. Diante disso, para alcançar o desejado aumento de produtividade e consolidar o país como principal produtor mundial desta oleaginosa, é necessário o desenvolvimento de cultivares mais produtivas e adaptadas às variações edafoclimáticas das diferentes regiões do país (Gomes, 2018; Colombo et al., 2018).

A avaliação e escolha de genitores é etapa fundamental para os programas de melhoramento (Bilyeu et al., 2016). Uma das ferramentas mais eficientes e amplamente utilizadas para a prática da seleção é a análise dialélica, que fornece estimativas de parâmetros úteis à avaliação e identificação de genitores promissores para futuros cruzamentos (Colombo et al., 2018; Cruz et al., 2012).

Nesse sentido, os objetivos do presente trabalho foram (i) avaliar o desempenho de cultivares e populações F2; (ii) estimar a capacidade geral de combinação (CGC) e capacidade específica de combinação (CEC); (iii) identificar populações promissores para o desenvolvimento de novas cultivares visando o aumento de produtividade de grãos na cultura da soja.

Material e Métodos

Seis cultivares comerciais de soja transgênica com evento RR® foram cruzadas em delineamento de dialelo completo. As Cultivares utilizadas foram: BMX Apolo RR, BMX Tornado RR, NA 5909 RG, TMG 7161 RR, TMG 7262 RR e TMG 7363 RR. As hibridações artificias foram realizadas em casa de vegetação e os híbridos F1 implantados a campo, ambos conduzidos no Campo Experimental Diogo Alves de Mello, pertencente ao Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa, no período de novembro de 2018 a outubro de 2019. As populações F2 foram conduzidas em experimento no município de Derrubadas-RS (27°14’37,5” S, 53°55’15,5”). O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com duas repetições, e as parcelas foram constituídas de uma linha com 2 metros de comprimento e o espaçamento entre linhas foi de 0,45 metros. Foram utilizadas 30 sementes por parcela. As análises estatísticas foram realizadas com o auxílio do Software Portal Genes (Cruz, 2013).

Resultados e Discussão 

A produtividade de grãos foi significativa pela análise de variância (P<0,05) (Tabela 1). O teste Scott-Knott agrupou os melhores genótipos (a) que devem ser selecionados para avanço de gerações e avaliados em novos experimentos. A análise dialélica revelou efeitos significativos (P<0,05) para CGC (Tabela 2). Cruz et al. (2012) descreve que estimativas altas e positivas dos efeitos da CGC revela que o genitor apresenta alta frequência de alelos favoráveis para o caractere. Os genitores TMG 7262 e TMG 7363 apresentaram os maiores valores positivos estimados de CGC para produtividade de grãos, sendo considerados genitores superiores, reunindo um maior número de alelos favoráveis ao aumento da média da produtividade (Tabela 2). Cultivares com alta CGC são indicadas para uso em novos cruzamentos no melhoramento genético, porque possuem altas frequências de alelos favoráveis a produtividade de grãos, alelos estes que conferem superioridade às suas futuras progênies. Além disso, a cultivar TMG 7262 foi classificada no grupo superior pelo agrupamento Scott-Knott, mostrando ser superior para a produtividade de grãos quando comparada as demais cultivares envolvidas nos cruzamentos, sendo recomendada para a região em estudo. A CEC também apresentou efeito significativo (P<0,05) relevando que houve efeito complementar para algumas combinações híbridas. A CEC caracteriza o comportamento de complementariedade dos genitores (Cruz et al., 2012).

Conclusão 

A análise dialélica permite indicar os genitores TMG 7262 e TMG 7363 como potenciais genitores para o aumento da produtividade de grãos em soja. Dessa forma, o uso destes progenitores em programas de melhoramento corrobora para a obtenção de linhagens superiores quanto à característica produtividade de grãos. A cultivar TMG 7262 é recomendada para a região de estudo.

Referências 

BILYEU, K.; RATNAPARKHE, M. B.; KOLE, C. (Ed.). Genetics, genomics, and breeding of soybean. New York: CRC, 2016. 350 p.

COLOMBO, G. A. et al. Capacidade combinatória de genótipos de soja sob condições de cerrado de baixa latitude. Revista de Ciências Agrárias, v. 61, p. 1–9, 2018.

CONAB. Acompanhamento da Safra Brasileira de Grãos Safra 2019/20. Companhia Nacional de Abastecimento, v. 7, n. 4, p. 7–13, 2019.

CRUZ, C. D.; REGAZZI, A. J.; CARNEIRO, P. C. S. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. 4.ed. Viçosa: Ed. da UFV, 2012. 514p.

CRUZ, C. D. GENES – a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum. v.35, n.3, p.271-276, 2013.

GOMES, B. E. L. Seleção de genitores de soja para produtividade de grãos e precocidade. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento) – UFV, p. 10–15, 2018.

Informações dos autores: 

  • ¹ Acadêmico do Curso de Agronomia, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa/MG. E-mail: emanuel.ferrari.nascimento@hotmail.com
  • ² Acadêmica do Curso de Doutorado em Genética e Melhoramento, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa/MG. E-mail: schusteragronomia@gmail.com
  • ³Professores da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa/MG. E-mail: leonardo.bhering@ufv.br e felipe.silva@ufv.br

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.