No texto de hoje vamos explorar a Família Convolvulaceae, que possui importantes espécies de plantas daninhas.

As plantas daninhas da Família Convolvulaceae tem ampla distribuição no Brasil.

A maioria são gêneros nativos que são utilizados para fins ornamentais ou alimentares.

Fonte: BASF.
  • Esta família está representada por 50 gêneros e 2.000 espécies. No Brasil, temos aproximadamente 300 espécies desta família, representando 18 gêneros;
  • Dois gêneros são mais representativos: Ipomoea e Merremia;
  • São plantas daninhas comuns em lavouras anuais e perenes;
  • São plantas daninhas geralmente com flores vistosas;
  • São plantas trepadeiras e herbáceas, com o hábito de se enrolarem sobre as culturas.
Fonte: Qualittas.
  • É comum encontrá-las em terrenos baldios, pomares, cafezais, milharais e canaviais;
  • As folhas são simples e alternadas;
  • Os frutos são classificados como cápsulas deiscentes. 

Fonte: Centro de Ciências Agrárias (UFSCar/CCA).

Lembrando que  é uma espécie de planta daninha considerada tolerante ao herbicida glyphosate, ou seja, a planta não morre mesmo que nunca tenha entrado em contato antes com o herbicida, é uma característica da espécie.

As principais espécies pertencentes a esta família são:

  • Ipomoea cairica (campainha, corda de viola, corriola, enrola semana, jetirana);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Ipomoea hederifolia (amarra-amarra, corda de viola, corriola, jetirana, jitirana);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Ipomoea indivisa (campainha, cardeal, cipó coração, corda de viola, corriola, enredadeira, flor de cardeal, jetirana, jitirana, primavera, primavera de caiena);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Ipomoea nil (amarra-amarra, campainha, campainha azul, campanha, corda de viola, corriola, jetirana, jitirana, suspiro);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
Fonte: Centro de Ciências Agrárias.
  • Ipomoea purpurea (bom dia, campainha, corda de viola, corriola, glória da manhã, jitirana);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes (esquerda) e Centro de Ciências Agrárias (direita).
  • Ipomoea quamoclit (boa tarde, campainha, campainha vermelha, cardeal, cipó esqueleto, corda de viola, corriola, esqueleto, flor de cardeal, primavera, primavera grande).
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
Fonte: Centro de Ciências Agrárias.
  • Ipomoea ramosissima (campainha, corda de viola, corriola, gramofone, jetirana, jitirana).
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Ipomoea triloba (campainha, corda de viola, corriola, jetirana).
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Merremia aegyptia (batatão roxo, jetirana, jetirana cabeluda, jitirana, jitirana cabeluda, jitirana de batata, mata me embora).
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes (esquerda) e Centro de Ciências Agrárias (direita).
  • Merremia cissoides (amarra-amarra, campainha, corda de viola, corriola, jetirana, jitirana).
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes (esquerda) e Centro de Ciências Agrárias (direita).
Identificação de espécies de corda-de-viola. Fonte: http://www.iac.sp.gov.br/publicacoes/publicacoes_online/pdf/Boletim_209_FINAL.pdfIAC.

As plantas daninhas dessa família possuem crescimento vigoroso, podendo cobrir a cultura, abafando-a e prejudicando a colheita.

O prejuízo na colheita ocorre devido a aumentar a umidade do grão ou por causar paradas constantes da colheitadeira de cana-de-açúcar, devido ao embuchamento da máquina.



Casos de resistência a herbicidas na Família Convolvulaceae

No Brasil não temos casos de biótipos de plantas daninhas resistentes nesta família.

Lembrando que algumas espécies de cordas-de-viola são tolerantes ao herbicida glyphosate, mas não resistentes.

Conclusão

No texto de hoje vimos sobre as plantas daninhas pertencentes à Família Convolvulaceae.

Entendemos melhor sobre as principais características das plantas daninhas e quais as principais espécies.

O conhecimento da biologia das espécies de plantas daninhas nos auxilia na tomada de decisão, somente identificando corretamente as espécies é que poderemos selecionar o melhor método de controle. 

No caso das plantas daninhas conhecidas por cordas-de-viola, temos que lembrar que são espécies classificadas como tolerantes ao herbicida glyphosate e que além de prejudicarem diretamente a cultura, podem interferir indiretamente causando prejuízos na colheita.

Referências utilizadas neste texto:

Aspectos da biologia e manejo das plantas daninhas / organizado por Patrícia Andrea Monquero – São Carlos: RiMa Editora, 2014.

Manual de Identificação de Plantas Infestantes. Moreira e Bragança (2010). FMC.



Gostou do texto? Tem mais dicas sobre à Família Convolvulaceae? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Girardeli é Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar) e Doutora em Fitotecnia (USP/ESALQ). Atualmente está cursando MBA em Agronegócios.

 


Foto de capa: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

2 Comentários

  1. Quero comentar sobre a “corda de viola”, Convolvulus arvensis, que é um fitoreápico, escelente pra tatar, a prostada, quando se tem ou cancer ou inflamação benigna da protara. uma colher de sopa de folhas picada.

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.