Nematoides são parasitas nos diversos ambientes em que são encontrados. Diz-se até que onde há vida, há a presença de nematoides.

Eles vivem nos solos e se alimentam de estruturas das plantas, especialmente raízes, tubérculos e bulbos e provocam danos que causam perdas de produção para o agricultor.

Para que você possa entrar com o controle, é preciso identificá-los na lavoura. No entanto, esta não é uma tarefa tão simples, pois é comum que os sintomas de ataque de nematoides sejam confundidos com deficiências nutricionais ou hídricas.

Saiba mais acompanhando o texto!

O que são os nematoides?

Estas pragas agrícolas são conhecidas como vermes microscópicos, em razão de seu tamanho – de até 3 milímetros de comprimento – e pelo formato de corpo alongado, cilíndrico e com as extremidades finas. Além disso, a coloração dos nematoides é quase transparente.

Nematoide da galha, Meloidogyne incognita. (Fonte: IPM Images)

Todas estas características dificultam a visualização deles nos solos. Assim, eles passam despercebidos na área de cultivo e quando encontram as condições favoráveis, aumentam sua população e passam a provocar os danos nas plantas.

O ciclo de desenvolvimento dos nematoides pode durar entre três a sete semanas, dependendo das condições do ambiente. Os ovos são colocados pelas fêmeas adultas e cada uma pode colocar até 2000 ovos, onde a partir deles, os nematoides eclodem, passam pelos estádios juvenis e atingem a fase adulta.

Quando estão na fase jovem, os nematoides já são semelhantes aos adultos, apenas possuem um tamanho menor e seu aparelho reprodutor não é completamente desenvolvido, o que é próprio da fase adulta.

Danos

Os danos nas plantas são ocasionados pela alimentação dos nematoides, pelas toxinas que injetam e por se estabelecerem nos tecidos das plantas, neste caso, para as espécies que são endoparasitas.

Para se alimentarem, eles sugam o conteúdo das células da planta por meio da inserção do estilete, uma estrutura que é parte do aparelho bucal dos nematoides. E como forma de facilitar a ingestão deste conteúdo, algumas espécies produzem secreções que auxiliam a digestão do alimento. Esta secreção pode provocar alterações nas células da planta atacada e necrosar os tecidos dela.

Com os danos que provocam, geralmente nas raízes das plantas, a absorção de água e nutrientes é dificultada, o que faz com que as plantas passem a apresentar determinados sintomas. 

Raiz de soja atacada por nematoide (esquerda) e raiz de soja sadia (direita). (Fonte: Publicado no Portal Mais Soja)

Sintomas

As plantas atacadas apresentam clorose nas folhas, murcha nos horários mais quentes do dia, vagens pequenas ou aborto delas, e um menor desenvolvimento.

Estes sintomas são os mais comuns e geralmente são observados em reboleiras. Mas veremos adiante que nem todas as espécies de nematoides atacam desta forma.

Sintomas de ataque de nematoides em lavoura de soja. (Fonte: SOESP)

Tais sintomas são facilmente confundidos com deficiências nutricionais ou hídricas, ou também com o ataque de outras pragas. Com isso, se houver um atraso na identificação do real problema, pode acontecer de quando você notar os sintomas nas plantas, elas já estejam danificadas de maneira irreversível.

Por isso, o programa de manejo integrado de pragas da sua área deve considerar o ataque de nematoides, para que as medidas de prevenção sejam implementadas na lavoura o mais cedo possível.

 

Características do ataque das principais espécies de nematoides

As espécies predominantes nos cultivos agrícolas são:

  • Nematoides das galhas: Meloidogyneincognita e Meloidogyne javanica
  • Nematoide de lesões radiculares: Pratylenchus brachyurus
  • Nematoide do cisto: Heterodera glycines
  • Nematoide reniforme: Rotylenchulus reniformis

Cada uma destas espécies causa danos diferentes nas plantas atacadas, e exatamente como o nome popular destes parasitas, provocam a formação de galhas, cistos e lesões radiculares.

Os nematoides formadores de galha são um grupo com mais de 80 espécies, mas as que são um problema para a sojicultura são: Meloidogyne incognita e Meloidogyne javanica.

Estes nematoides tem a característica vermiforme quando estão no solo. Eles procuram as raízes das plantas para entrar em seus tecidos e se alimentar, por isso são chamados de endoparasitas, já que permanecem dentro dos tecidos da planta.

A característica destes endoparasitas é a formação de galhas nas raízes das plantas atacadas. Isto acontece, pois ao se alimentarem produzem enzimas digestivas que causam um crescimento desordenado das células, o que provoca a formação de nódulos nas raízes, chamados de galhas.

Já os nematoides de lesões radiculares, que apesar de também serem endoparasitas, diferem da espécie anterior por se locomovem no interior das plantas. Dentro delas eles se alimentam, injetam toxinas e deixam os tecidos, que ficam danificados pela alimentação destes nematoides, se tornando escuros e necróticos.

Com os danos já causados, as lesões acabam servindo como porta de entrada para outros patógenos causadores de doenças, como bactérias e fungos.

Os nematoides do cisto são endoparasitas sedentários – não se locomovem na planta – assim como os formadores de galha. Eles entram nas raízes para se alimentarem e começam a aumentar de tamanho. Conforme crescem, seu corpo toma a forma de um limão e parte dele passa a ficar exposto no lado externo das raízes, tornando-os visíveis.

As fêmeas do nematoide do cisto ovipositam no próprio corpo, em média 200 ovos. Assim que elas começam a envelhecer, seu corpo vai escurecendo, até que ela morre e seu aspecto se torna rígido e de coloração marrom escura, que são os cistos. Nos cistos, os ovos ficam protegidos e podem permanecer incubados no solo por muitos anos.

A última espécie predominante, o nematoide reniforme é diferente dos demais por ser um ectoparasita, ele entra nas raízes das plantas até certo ponto para se alimentar. Esta alimentação provoca um menor desenvolvimento das plantas atacadas, as raízes ficam reduzidas e os demais sintomas típicos de ataque de nematoides são observados.

Além disso, esta espécie de nematoide não costuma provocar sintomas em reboleiras, mas os danos provocam grande desuniformidade das plantas.

Manejo

Diversos fatores contribuem e tornam as condições favoráveis para as infestações de nematoides na lavoura. É importante que você procure não permitir que isso aconteça.

  • Realize a rotação de culturas com a soja e com plantas que não são hospedeiras destas pragas;
  • Utilize variedades resistentes;
  • Higienize os equipamentos para evitar a disseminação de nematoides;
  • Revolva o solo para expor os nematoides a luz solar e realize o alqueive – que é a prática de manter o solo sem vegetação por um período -, estas duas táticas contribuem com a redução da população de nematoides por causarem dessecação e inanição;
  • Monitore periodicamente a área;
  • Utilize nematicidas químicos e biológicos para controle, quando o monitoramento indicar;
  • Evite manter água disponível no solo e também excessos de adubos nitrogenados, são fatores que favorecem a permanência dos nematoides na área.

Conclusão

Neste artigo, você viu que os danos causados pelos nematoides impactam diretamente a produção final da soja.

Além da dificuldade de absorção de água e nutrientes, os danos fazem com que as plantas fiquem suscetíveis ao ataque de outras pragas, o que torna o problema ainda maior.

Faça uso das táticas de manejo em conjunto, elas promovem um melhor resultado no controle.

Foto de capa: Divulgação Embrapa Agropecuária Oeste

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.