Produtores associados da Cocamar, nas imediações de Maringá (PR), estão iniciando, nesta segunda-feira (13/09), a semeadura da safra de soja 2021/22. É o caso de Luiz Alberto Palaro, de Floresta.

Solos variados – Palaro mantém cultivos em três regiões, as quais apresentam diferentes tipos de solos: desde o argiloso no município onde reside, passando pelo misto/arenoso em Tuneiras do Oeste, no noroeste do Paraná, e o arenoso típico do oeste paulista, onde a cooperativa desenvolve há três anos, em parceria com usinas, um programa de plantio de soja voltado à renovação de áreas de canaviais.

Adepto a tecnologias – Tecnificado e receptivo a adoção de novas tecnologias, o produtor – que é assistido pela equipe técnica da Cocamar -, mantém um histórico de produtividade de soja, em Floresta, sempre acima das médias regionais.

Mais cedo – No município vizinho, os produtores costumam semear soja mais cedo de olho em encaixar no calendário, na sequência, a safra de milho de milho, cujo período ideal seria até o dia 10 de março. Já em Tuneiras do Oeste e no oeste de São Paulo a operação deve começar em outubro.

Confiante – Reconhecido pelo capricho, o cuidado com o solo e a assertividade na escolha das variedades, Palaro mostra não ter medo das oscilações climáticas, um problema recorrente na agricultura. “As chuvas do final de semana foram poucas, mas estamos confiantes que vai continuar chovendo nos próximos dias”, comenta o produtor. Sempre na vanguarda, ele foi o primeiro em Floresta, na safra passada (2020/21) a utilizar drone para a pulverização da lavoura.

Fim do vazio – A semeadura de soja começou nesta segunda-feira (com o fim do vazio sanitário) e deve ganhar volume nas próximas semanas.

Fonte: Disponível em Portal do Sistema Ocepar – Assessoria de imprensa Cocamar

Texto originalmente publicado em:
Sistema Ocepar
Autor: Sistema Ocepar

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.