InícioDestaqueControle do oídio em soja: Confira a eficiência dos fungicidas

Controle do oídio em soja: Confira a eficiência dos fungicidas

Durante o crescimento e desenvolvimento da cultura da soja, uma séria de doenças e patógenos podem acometer as plantas, causando perdas que vão desde a redução do potencial produtivo, até a redução da qualidade dos grãos e/ou sementes produzidas. Uma dessas doenças é o oídio, causando pelo fungo Microsphaera difusa, e que pode acometer a soja em qualquer período do seu desenvolvimento, sendo mais comum por ocasião, no início do florescimento da cultura (Henning et al., 2014).

Segundo Henning et al. (2014), o desenvolvimento da doença é favorecido por condições de baixa umidade relativa do ar e temperaturas amenas, logo, o oídio é uma doença com maior manifestação em anos secos. Os danos podem variar em função do período em que ocorre a infestação e severidade dela, sendo possível observar perdas de produtividade variando entre 10% a 35% (Godoy et al., 2021).

Os principais sintomas em decorrência do desenvolvimento do oídio são observados nas folhas infectadas, que normalmente apresentam uma fina cobertura esbranquiçada, formada por micélios e esporos pulverulentos (Henning et al., 2014). Em casos mais severos, as folhas podem secar e cair prematuramente (Godoy et al., 2021).

Figura 1. Sintomas típicos de oídio (Microsphaera difusa) em soja.

Tendo em vista os impactos do oídio em soja, o manejo e controle eficiente dessa doença é fundamental para evitar perdas produtivas, sendo necessário para isso, adotar medidas de controle eficientes. Uma delas é o controle químico com o emprego de fungicidas, contudo, para um controle eficaz é necessário conhecer os produtos mais eficientes, para melhor posiciona-los no manejo da doença.

Avaliando a eficiência de fungicidas para o controle do oídio em soja na safra 2021/2022, foram conduzidos ensaios em oito instituições, contemplando quatro estados da Federação, sendo eles, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Bahia. Conforme resultados obtidos, Godoy et al. (2022) destacam que dentre os tratamentos avaliados, as menores severidades e maiores porcentagens de controle foram observadas para os tratamentos com fluxapiroxade + protioconazol (T10) e azoxistrobina + protioconazol + mancozebe (T9) seguido de protioconazol + fluindapir e mancozebe (T8) e tebuconazol + carbendazim (T3), todos com controle ≥ 89% (Godoy et al., 2022).



Tabela 1. Severidade (SEV) de oídio 14 (± 4) dias após a segunda aplicação, porcentagem de controle em relação à testemunha (%C), produtividade (PROD) e redução de produtividade (RP) em relação a maior produtividade. Média de sete experimentos, safra 2021/2022.

Fonte: Godoy et al. (2022)

Os autores destacam que todos os tratamentos apresentaram produtividade superior a testemunha (controle), demonstrando a importância do manejo do oídio para a manutenção da produtividade da soja. As menores produtividades foram observadas para os tratamentos com tetraconazol (T2 – 3.443 kg/ha), piriofenone (T6 – 3.575 kg/ha) e enxofre (T5 – 3.563 kg/ha) (Godoy et al., 2022).

Além disso, Godoy et al. (2022) destacam que os únicos tratamentos com controle abaixo de 80% foram tiofanato metílico + fluazinam (T11 – 77%) e tetraconazol (T2 – 61%), não sendo observada redução de controle no tratamento com protioconazol + fluindapir quando adicionado mancozebe (T7 e T8), demonstrando controle superior na mistura com mancozebe.

Um importante destaque é que, para um controle eficaz, todas as boas práticas no controle devem ser adotadas, não baseando seu manejo apenas em um fungicida, com uso continuo, mas sim utilizando diferentes grupos químicos, racionando ativos e utilizando os resultados apresentados apenas como guia, não como ranking para escolhas.

Confira o material completo clicando aqui!


Veja mais: Eficiência de fungicidas no controle da ferrugem-asiática da soja


Referências:

GODOY, C. V. et al. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DO OÍDIO, NA SAFRA 2020/2021: RESULTADOS SUMARIZADOS DOS ENSAIOS COOPERATIVOS. Embrapa, Circular Técnica, n. 178, 2021. Disponível em: < https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1135749/1/Circ-Tec-178.pdf >, acesso em: 12/09/2022.

GODOY, C. V. et al. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DO OÍDIO, NA SAFRA 2021/2022: RESULTADOS SUMARIZADOS DOS ENSAIOS COOPERATIVOS. Embrapa, Circular Técnica, n. 184, 2022. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/doc/1145700/1/Circ-Tec-184.pdf >, acesso em: 12/09/2022.

HENNING, A. A. et al. MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE SOJA. Embrapa, Documentos, n. 256, 2014. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/105942/1/Doc256-OL.pdf >, acesso em: 12/09/2022.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares