A mancha-alvo é uma doença causada pelo fungo Corynespora cassiicola, que pode infectar folhas, pecíolos, hastes, vagens, frutos e raízes de diversas espécies de plantas de interesse econômico mundial. Foi relatada pela primeira vez no Brasil em 1974 na cultura da soja, no Estado do Mato Grosso. Atualmente, encontra-se disseminado no país.

A doença é uma das principais enfermidades que acometem a cultura da soja, sendo responsável por prejuízos na produtividade. São relatadas perdas de 18 a 32% por esta doença em cultivo de soja com cultivares suscetíveis a este patógeno (Godoy, 2015). As cultivares que são mais sensíveis a este patógeno, podem sofrer intensa desfolha e apresentarem também manchas nas hastes e vagens (Godoy et al., 2016).


Veja também: Mancha-alvo em soja!


Os sintomas iniciais são pontuações pardas com halos amarelados e quando desenvolvidas tornam-se manchas circulares de coloração castanha. O desenvolvimento do fungo é favorecido por temperaturas entre 20 a 32ºC e alta umidade relativa do ar, podendo ser propagado através do vento, materiais contaminados, sementes e plantas infectadas. Como estratégia de manejo da doença recomenda-se a utilização de cultivares resistentes, uso de sementes sadias, rotação de culturas e controle químico e cultural.

Pensando nisso, em trabalho apresentado e publicado nos anais da 37ª Reunião de Pesquisa de Soja, os pesquisadores Konageski, T.F.; Konageski, F.T. e  Torres, G.N. realizaram um trabalho intitulado “Desempenho agronômico dos principais fungicidas no manejo de controle da mancha-alvo na cultura da soja”, com o objetivo de avaliar o desempenho dos principais fungicidas no manejo de controle da mancha-alvo na cultura da soja na safra 2018/19. Para acessar o trabalho completo clique aqui.

Nesse trabalho os autores concluíram que os fungicidas (Bixafem + Protioconazol + Trifloxistrobina) e (Azoxistrobina + Tebuconazole + Mancozebe), se destacaram dos demais tratamentos, apresentando maior eficiência de controle da mancha – alvo na cultura da soja, com eficácia de 70,24% sobre a área abaixo da curva de progressão da doença, e apresentando menor desfolha aos 22 DAA³, além disso os fungicidas (Bixafem + Protioconazol + Trifloxistrobina), (Epoxiconazol + fluxapiroxade + piraclostrobina), (Boscalida + Dimoxistrobin), (Benzovindiflupir + Ciproconazol + Difenoconazol) e (Azoxistrobina + Tebuconazole + Mancozebe), proporcionaram incremento de rendimento de até 6,60 sc.ha-1 na cultura.

Veja os resultados abaixo.

Tabela 1. Tratamentos e doses dos fungicidas utilizados na cultura da soja (Glycine max) para o controle da mancha-alvo (Corynespora cassiicola). Querência, MT, 2019.

Fonte: Konageski et al., (2019).

Tabela 2. Manutenções fitossanitárias realizadas ao longo do período experimental.

Fonte: Konageski et al., (2019).

Para acessar o trabalho completo clique aqui.


Veja também: O impacto da mancha-alvo em soja



Elaboração: Engenheira Agrônoma Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.


Conheça nossa nova plataforma de Cursos.Esta semana em promoção.Clique na imagem abaixo e confira.

A imagem pode conter: texto

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.