Embora não seja uma das doenças de maior ocorrência na cultura, a brusone pode ser considerada uma preocupante doença do trigo, especialmente pelo elevado potencial em causar danos, reduzindo drasticamente a produtividade da cultura e depreciando grãos ou sementes.

A doença acomete principalmente a espiga do trigo, causando sintomas visuais típicos como a descoloração da espigueta acima do local de infecção. Segundo Santana et al. (2012), anos chuvosos, com temperaturas amenas, em torno de 25°C, favorecem o desenvolvimento da doença. Em consequência disso, as maiores perdas ocasionadas pela brusone na cultura do trigo, são observadas em anos com a prevalência dessas condições ambientais, podendo as perdas de produtividade serem de até 100%, comprometendo a viabilidade da lavoura.

Corroborando essas informações, Santana et al. (2020) observaram que os danos ocasionados pela brusone em trigo, estão diretamente relacionados a incidência da doença, sendo que uma alta pressão de doença acarreta uma perda significativa no rendimento de grãos.



Avaliando o desenvolvimento da brusone em função de diferentes temperaturas e duração do período de molhamento foliar, Cardoso; Reis; Moreira (2008), observaram que a temperatura e a duração do tempo de molhamento estão diretamente relacionados a intensidade da incidência da brusone em trigo. Considerando a temperatura de 25°C, com 10 horas de molhamento os autores já observaram significativo desenvolvimento da doença, confirmando a relação entre temperatura e tempo de molhamento foliar no desenvolvimento da brusone.


Veja mais: Controle químico de brusone no trigo – Confira a eficiência de alguns fungicidas


Tabela 1. Influência da Temperatura e período do molhamento foliar na intensidade da brusone em espigas de trigo.

Z IDP = desvio padrão da média do erro
Fonte: Cardoso; Reis; Moreira (2008)

Conforme resultados observados por Cardoso; Reis; Moreira (2008), a maior intensidade de desenvolvimento da doença ocorre com a temperatura de 25°C e tempo de molhamento de 40 horas. Para tempo de molhamento inferior a 10 horas, os autores não observaram desenvolvimento da doença, independentemente da temperatura avaliada, destacando assim, a necessidade do prolongado molhamento para que ocorra o desenvolvimento da brusone.



Referências:

CARDOSO, C. A. A.; REIS, E. M.; MOREIRA, E. N. DEVELOPMENT OF A WARNING SYSTEM FOR WHEAT BLAST CAUSED BY Pyricularia grisea. Summa Phytopathol., Botucatu, v. 34, n. 3, p. 216-221, 2008. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/sp/a/C3z3hBGWJgJRYs5vS4NWBGv/?lang=en# >, acesso em: 16/09/2021.

SANTANA, F. M. et al. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS PARA CONTROLE DE BRUSONE DE TRIGO: RESULTADOS DOS ENSAIOS COOPERATIVOS, SAFRA 2019. Embrapa, Circular Técnica, n. 55, 2020. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/221153/1/CircTec-Online-55-2021.pdf >, acesso em: 16/09/2021.

SANTANA, F. M. et al. MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE TRIGO. Embrapa, Documentos, n. 108, 2012. Disponível em: < https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/990828/manual-de-identificacao-de-doencas-de-trigo >, acesso em: 16/09/2021.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.