Considerando as 3 safras de milho do ciclo 2021/22, a produção total brasileira é estimada pela StoneX em 120,1 milhões de toneladas, um novo recorde para o país. Como a temporada ainda está em seu início, muitos fatores podem alterar as expectativas. Entre elas, o clima.

Em função da irregularidade das chuvas ao longo do mês de novembro, momento em que parte considerável da safra gaúcha se encontrava em uma fase crucial para a determinação de seu potencial produtivo, a estimativa de rendimento para o estado foi reduzida. Com uma contração de quase 15% no rendimento esperado, para 5,9 t/ha, a produção do estado sofreu uma queda na mesma proporção, para 4,9 milhões de toneladas.

Essa redução refletiu na produção brasileira para a 1ª safra, estimada agora em 29,6 milhões de toneladas, corte de 2,8% em relação ao relatório de novembro.

Mesmo assim, a oferta total do cereal deve receber um alívio vindo da estimativa para a 2ª safra (ou ‘safrinha’), de 88,9 milhões de toneladas, número 1,5% acima da primeira estimativa – resultado de perspectivas mais positivas para a área plantada em Goiás e Mato Grosso do Sul.

Houve um aumento de 2,8% na área goiana, para 1,86 milhão de hectares, resultando em uma elevação de mesmo patamar na produção, para 11,4 milhões de toneladas.

Para o  Mato Grosso do Sul, a elevação foi de 11,4%, para 2,25 milhões de hectares, compensando a leve revisão para baixo na produtividade, resultando em um aumento de 9,4% na produção, para 12,1 milhões de toneladas.

Apesar das boas expectativas de oferta, o consumo doméstico da safra 2021/22 está calculado em 75,5 milhões de toneladas, levando ao recuo dos estoques finais em comparação com a estimativa divulgada em novembro, para 14,87 milhões.

2020/21

Já em relação ao ciclo 2020/21, foram mantidas as expectativas de produzir 1,68 milhão de toneladas na 3ª safra de milho. Para a mesma temporada, em função do ritmo de embarques observados até então, a StoneX promoveu um aumento nas exportações, para 18,5 milhões de toneladas, e nas importações, para 3 milhões, levando os estoques finais 2020/21 a recuarem para 10,25 milhões de toneladas.



Fonte: Assessoria de imprensa Stonex

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.