O Imea divulgou nesta segunda-feira o relatório de oferta e demanda do milho no estado. De acordo com o informe, ocorreram poucas modificações nos dados da safra 2018/19. Por outro lado, para a safra 19/20 algumas importantes mudanças foram apontadas.

O aumento das áreas pelos agricultores e o bom índice de lavouras semeadas dentro da janela ideal dão suporte para o aumento da estimativa de produção de MT ante a última divulgação. Já no lado da demanda, as menores margens das usinas de etanol de milho e dos pecuaristas trouxeram incertezas para o setor e influenciaram na redução do otimismo no aumento do consumo interno do cereal.

Com isso, as estimativas foram revistas e o consumo de Mato Grosso passa a ser considerado em 9,05 milhões de t, valor 4,37% maior que o estimado na safra anterior. Por fim, ressaltam-se as boas estimativas de exportação, em linha com os volumes alcançados nas últimas safras.

Confira os principais destaques do boletim:

• O milho na bolsa de Chicago, indicado pelo contrato corrente da CME-Group, fechou a semana com queda  de 1,35%, cotado a US$ 3,26/bu, após incertezas quanto à demanda das usinas de etanol nos Estados Unidos.

• O indicador da B3 corrente também fechou a semana em queda de 1,95%, sendo cotado em média a R$ 46,53/sc.



• Ainda seguindo as incertezas da economia mundial, dólar se recuperou do recuo da semana passada e fechou a semana cotada a R$ 5,23/US$, representando alta de 0,58%.

• A base MT – CME retraiu 17,49% na média semanal com a maior queda na cotação do milho em Chicago. Assim, a diferença entre as praças fechou com – R$ 0,39/sc.

Etanol & EUA:

A circulação de pessoas reduziu muito nas últimas semanas devido ao avenço da Covid-19 pelo mundo, o que levou ao recuo do preço do petróleo e, por consequência, dos combustíveis e biocombustíveis.

No mercado de etanol, por exemplo, os Estados Unidos possuem a maior produção global e os estoques do produtor por lá vêm crescendo, mesmo com as recentes paralisações de indústrias processadoras de milho e da consequente forte redução da produção de etanol.

Como reflexo disso os preços do cereal na Bolsa de Chicago reduzira mais de 14,0% desde o início de março e o USDA, em seu último relatório de oferta e demanda, aumentou em 10,6% a estimativa de estoques para a safra 2019/20 norte-americana (em relação à ultima estimativa mensal desta safra).

Para se ter uma ideia, essa modificação no estoque estadunidense representa 5,08 milhões de t de milho, valor superior ao que é processado anualmente em Mato Grosso pelas usinas locais de etanol, ilustrando o árduo momento vivido pelo setor.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.