O Imea divulgou os novos dados referentes à comercialização da oleaginosa no estado de Mato Grosso. Com apenas 3,07 p.p. de avanço mensal, a safra 18/19 se apresenta 87,06% negociada até o final de julho, com preço médio de R$ 65,17/sc. A região norte é a que se encontra com o maior volume de soja vendida, apresentando 92,93% dos seus lotes já comercializados.

Já para a safra 19/20, que iniciará seu processo de semeadura no próximo mês, o preço médio negociado durante julho ficou em R$ 64,78/sc, ou seja, queda de 0,69% ante o mês anterior. O tímido avanço pode ser justificado pelos momentos de incerteza no cenário político interno, e pela insegurança causada decorrente dos trâmites entre EUA x China.

Além disso, a baixa nos prêmios para os contratos futuros durante julho ocasionou o recuo nas cotações. Motivadas pela recuperação dos preços no início do mês, às negociações devem evoluir em agosto.

Confira os principais destaques do boletim:

• A soja disponível em MT fechou a semana com preço médio de R$ 67,49/sc e aumento de 6,95%, com o impacto da alta do dólar e dos prêmios.

• A paridade mar/20 finalizou a R$ 61,75/sc e acréscimo de 3,30%, embasada, principalmente, pela elevação do dólar e dos prêmios ofertados no porto de Santos.



• O dólar encerrou a última semana com cotação de R$ 3,96/US$, exibindo uma valorização de 3,79%, reflexo do acirramento da disputa comercial entre os EUA e a China.

• O indicador Base MT- CME terminou a semana com aumento de 20,77%, impactado principalmente pela elevação na CME e no câmbio.

PREÇOS EM ALTA:

Na última sexta-feira o indicador Imea – MT apresentou alta de 6,76% ante a sexta-feira da semana passada fechando a semana em R$ 68,58/sc. O avanço decorrente da ascensão dos prêmios no início deste mês foi motivado pelo anúncio das taxações nas exportações da China pelos EUA na sexta-feira (01/08).

Esse movimento fez com que o prêmio corrente chegasse à margem de US$ 1,38/bushel na segunda-feira (05/08). Esse valor havia sido obtido pela última vez em novembro do ano passado.

Somado a isso, os preços na CME apresentaram elevação de 2,72% ante o fechamento da semana anterior, devido as expectativas do mercado relacionadas à divulgação do relatório do USDA do mês de agosto. Alguns produtores aproveitaram a alta para “travar” os preços para as vendas da nova safra e comercializar lotes da safra 18/19 na semana. Assim sendo, compete ao sojicultor estar atento às movimentações futuras do mercado.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.