O mercado brasileiro de milho deve registrar uma terça-feira de cautela nos negócios, aguardando a reabertura da Bolsa de Mercadorias de Chicago após o feriado do dia da Independência dos Estados Unidos. A tendência é de que os preços sigam em baixa, em meio ao avanço da colheita da safrinha, que atua como um fator de pressão às cotações. O dólar em alta frente ao real, por outro lado, pode favorecer negócios de milho na exportação.

Ontem (4), o mercado brasileiro de milho teve um dia praticamente parado, sem negócios, diante da ausência do principal referencial internacional de preços.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, começam a aparecer pressões regionais de pressão sobre os preços diante do avanço da colheita. No entanto, tanto vendedores como compradores aguardam a reabertura de Chicago amanhã para tomarem algum posicionamento.

No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 86,00 (compra) a R$ 88,00 (venda) a saca (CIF) para julho. Já no Porto de Paranaguá, cotação entre R$ 86,00/89,00 a saca para julho.

No Paraná, a cotação ficou em R$ 82,00/85,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 82,00/85,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 85,00/87,00 a saca.

No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 93,00/95,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 79,00/81,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 74,00/R$ 77,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 67,00/72,00 a saca em Rondonópolis.

Chicago 

O mercado não operou ontem (4), em razão do feriado do dia da Independência dos Estados Unidos. A Bolsa de Mercadorias de Chicago volta a operar hoje às 10h30, horário de Brasília.

A atenção dos investidores estará focada nos relatórios de inspeções de exportação, às 12h, e de condições das lavouras norte-americanas de milho, às 17h, que serão divulgados excepcionalmente hoje pelo Departamento de Agricultura do país (USDA).

Na última sexta-feira (1), os contratos de milho com entrega em setembro fecharam a US$ 6,19 3/4 por bushel, recuo de 9,00 centavos de dólar, ou 1,43%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro de 2022 fechou a sessão a US$ 6,07 1/2 por bushel, baixa de 12,25 centavos, ou 1,97% em relação ao fechamento anterior.

Câmbio

O dólar comercial registra alta de 0,78% a R$ 5,3670. O Dollar Index registra alta de 1,07% a 106,26 pontos.

Indicadores financeiros 

  • As principais bolsas da Ásia encerraram mistos. Xangai, -0,04%; Tóquio, +1,03%.
  • As principais bolsas na Europa registram índices acentuadamente baixos. Londres, -1,18%; Paris, -1,85% e Frankfurt, -1,40%.
  • O petróleo opera em baixa. Agosto do WTI em NY: US$ 108,21 o barril (-0,20%).

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Pedro Carneiro - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.