InícioDestaquePoaia e erva-quente não devem ser subestimadas

Poaia e erva-quente não devem ser subestimadas

Poaia (Richardia brasiliensis) e erva-quente (Spermacoce latifolia syn. Borreria latifolia) são plantas daninhas pertencentes a família Rubiaceae que tem demonstrado crescente participação nos sistemas de produção agrícola, atuando como planta daninhas na cultura da soja. Embora ambas as espécies ainda não apresentem casos de resistência a herbicidas (Heap, 2024), sabe-se que, que há certa tolerância de algumas populações dessas espécies a herbicidas, resultando em falhas de manejo e dificuldades de controle.

Mesmo apresentando muitas similaridades, é possível identificar e distinguir as espécies. Normalmente, a erva-quente pode apresentar hábito de crescimento ereto e/ou prostado, enquanto que a poaia-branca apresenta crescimento prostrado. Ambas as espécies são mais comuns nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. Para maior detalhamento na diferenciação das espécies clique aqui!

Figura 1. À esquerda Poaia (Richardia brasiliensis), à direita erva-quente (Spermacoce latifolia syn. Borreria latifolia).

Fotos: Mauro Antônio Rizzardi

Ambas as plantas são frequentemente encontradas em áreas de soja, entretanto, por apresentarem hábito prostado, nem sempre são foco do manejo de plantas daninhas, por “parecerem” não apresentar grande impacto na produtividade da soja. Entretanto, assim como buva (Conyza sp.) e capim-amargoso (Digitaria insularis), a poaia-branca e a erva-quente também apresentam capacidade de matocompetir com a soja, causando perdas significativas da produtividade.



Quais as perdas e qual dessas plantas causa maior impacto?

Avaliando os efeitos da interferência de B. latifolia e R. brasiliensis sobre o desenvolvimento das plantas, componentes do rendimento e produtividade da soja, Diesel et al. (2020) observaram que, o rendimento da soja foi negativamente afetado pelo convívio com essas plantas daninhas.

Os autores analisaram duas cultivares de soja (V-TOP RR e BMX Ativa RR), cultivadas nas safras 2013/14 e 2014/15 respectivamente, submetidas ao convívio com diferentes densidades populacionais das plantas daninhas (0, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 plantas m-2).

Conforme resultados obtidos por Diesel et al. (2020), e erva-quente (B. latifolia ) apresenta maior habilidade competitiva quando comparada a poaia-branca (R. brasiliensis), causando maiores danos. Cada planta de B. latifolia por metro quadrado é capaz de reduzir a produtividade da soja em 3 a 4,4%, enquanto cada planta de R. brasiliensis reduziu o rendimento em 2 a 2,6%, respectivamente.

Figura 2. A – Perda de rendimento (cultivar V-TOP RR) e B – Perda de rendimento % em relação ao controle (cultivar BMX Ativa), causada pela interferência de diferentes densidades populacionais de B. latifolia e R. brasiliensis em soja.

Adaptado: Diesel et al. (2020)

Logo, considerando a densidade populacional de 1 planta m-2, e a produtividade média de 3 t ha-1, a erva-quente e a poaia-branca podem causar perdas de produtividade de até 132 kg ha-1 e 78 kg ha-1, respectivamente, ou seja, 2,2 sc ha-1 (B. latifolia) e 1,3 sc ha-1 (R. brasiliensis). Confira o trabalho completo de Diesel e colaboradores (2020) clicando aqui!

Referências:

DIESEL, F. et al. INTERFERENCE OF BROADLEAF BUTTONWEED AND WHITE-EYE IN SOYBEAN. Planta Daninha 2020. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/pd/a/cvNQ3bBb7KnhssG79RrBHcz/?format=pdf&lang=en >, acesso em: 12/01/2024.

HEAP, I.  THE INTERNATIONAL HERBICIDE-RESISTANT WEED DATABASE, 2024. Disponível em: < https://weedscience.org/Pages/Species.aspx >, acesso em: 12/01/2024.

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares