O preço da soja no mercado disponível em Mato Grosso fechou o mês de fevereiro a R$ 61,94/sc, apresentando uma valorização de 2,47% ante o fechamento no mês de janeiro. De uma forma geral, o dólar pesou neste aumento, pois fechou fevereiro com alta de 2,37%.

As expectativas quanto a reforma da previdência e a maior demanda interna também ajudaram na valorização do grão no Estado.

Em contrapartida, pressões baixistas vieram da queda na cotação do grão na bolsa de Chicago, que desvalorizou 2,04% devido à falta de definição nas negociações comerciais sino-americanas, além do recuo nos valores do prêmio nos portos, que fechou o mês de fevereiro com recuo de 8,93%.

Dessa forma, enquanto não há nenhum acordo entre os EUA e a China, é importante que o produtor se mantenha atento no mercado externo e nas variações da moeda americana, que continuarão influenciando as cotações.

Confira os principais destaques do boletim: 

• O indicador Imea – MT fechou a última semana com recuo de 0,30% e cotação média de R$ 62,28/sc. Apesar do breve avanço no dólar, a queda no prêmio Paranaguá corrente contribuiu para esta queda.

• O prêmio Paranaguá corrente fechou com queda de 19,02% ante a semana passada, cotado a US$ 0,53/bushel. A demanda mais fraca pela soja brasileira afetou as cotações.



• Com os investidores cautelosos devido ao feriado prolongado, a cotação da moeda norteamericana avançou 0,48% sobre o real, fechando a média da semana em R$ 3,75.

• A relação farelo/óleo finalizou a semana com um avanço de 0,79% e com a margem bruta de esmagamento em R$ 207,04/t, devido, principalmente, à queda no preço da soja disponível.

Safra argentina 18/19:

Após a safra de soja Argentina ter registrado prejuízos na produção do ano passado devido problemas climáticos, a atual safra traz boas perspectivas de produção de acordo com a Bolsa de Cereais de Buenos Aires (BCBA).

Em seu último boletim do Panorama Agrícola Semanal (PAS), a BCBA informou que, apesar dos registros de perdas por geada ocorridos na última semana, as chuvas acumuladas até o momento favoreceram as lavouras, fazendo a instituição manter a estimativa de produção em 53 milhões de toneladas.

Com isso, caso confirmada, a produção do país vizinho terá um aumento de 51,0% quando comparado a safra passada.

E o clima favorecendo a produção do Brasil e Argentina nesta safra, e com os EUA tendo altos estoques de soja, abre-se a possibilidade para um cenário baixista para os preços da oleaginosa.

De todo modo, o desfecho das negociações entre os EUA e a China — seja qual for — terá forte influência sobre como se comportará os preços da soja.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.