As condições são favoráveis aos preços e aos negócios neste início de terça no mercado brasileiro de soja. Dólar e Chicago sobem. Mas o ritmo dos negócios deve ser ainda moderado, com os agentes aguardando os relatórios do USDA, que serão divulgados no início da tarde.

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais baixos na segunda no mercado brasileiro. Na maior parte das praças, a cotação foi apenas uma sinalização nominal, diante da volatilidade e da falta de negócios. Chicago teve ganho moderado, mas o dólar recuou. Negociadores permaneceram distantes.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos recuou de R$ 112,00 para R$ 111,00. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 111,00 para R$ 110,00. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 115,00 para R$ 114,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço caiu de R$ 108,50 para R$ 108,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca recuou de R$ 115,00 para R$ 114,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca permaneceu em R$ 106,00. Em Dourados (MS), a cotação seguiu em R$ 104,00. Em Rio Verde (GO), a saca estabilizou em R$ 103,50.

Chicago 

Os contratos com vencimento em novembro apresentam valorização de 0,46%, cotados a US$ 8,65 ½ por bushel.

Os operadores se posicionam frente ao relatório de plantio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado nesta terça, às 13 horas. A ampla oferta global limita os ganhos.

O Departamento divulgou ontem dados sobre as condições das lavouras americanas de soja. Segundo o USDA, até 28 de junho, 71% estavam entre boas e excelentes -condições – o mercado esperava 70% -, 24% em situação regular e 5% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os índices eram de 70%, 25% e 5%, respectivamente.

USDA

O USDA deverá indicar uma área plantada norte-americana com soja de 84,76 milhões de acres, com avanço sobre o ano anterior e na comparação com a intenção de plantio, divulgado em março. O relatório de área plantada será divulgado na terça-feira, 30, às 13hs.

A previsão é compartilhada por analistas e corretores consultados pelas agências internacionais. Segundo a consulta, o USDA deverá indicar área de 84,764 milhões de acres, acima dos 76,1 milhões de acres cultivados em 2019.

No final de março, o USDA divulgou o relatório de intenção de plantio. Naquela oportunidade, o Departamento apostava em uma área de 83,51 milhões de acres.

O Departamento vai divulgar na terça também o relatório para os estoques trimestrais americanos na posição 1o de junho.

O mercado aponta estoques de 1,381 bilhão de bushels. Em 1o de março, o estoque ficou em 2,253 bilhões e em junho do ano passado os produtores tinham 1,783 bilhão de bushels armazenados.

Prêmios 

O prêmio em Paranaguá para julho ficou em 116 a 126 pontos acima de Chicago. Para agosto, o valor é de 120 a 128 pontos acima.

Câmbio 

O dólar comercial registra alta de 0,58% a R$ 5,456.

Indicadores financeiros 

  • As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, +0,78%. Tóquio, +1,33%.
  • As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,17%; Frankfurt, +0,46%; Londres, -0,59%.
  • O petróleo opera com perdas. Agosto do WTI em NY: US$ 39,02 o barril (-1,68%).
  • O Dollar Index registra alta de 0,26%, a 97,79 pontos.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Dylan Della Pasqua - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.