O mercado doméstico de arroz segue operando com firmeza. Na média do Rio Grande do Sul a quinta-feira fechou a R$ 105,40/saca, com queda de 0,4% em relação ao mês anterior e alta de 128,9% quando comparado ao mesmo período do ano passado.

Depois de interromper a escalada de alta no final da primeira quinzena de setembro, os preços do arroz vêm encontrando dificuldade em romper uma resistência que fica por volta de R$ 105,00/saca na média das praças gaúchas.

Essa barreira pode ser justificada pela dificuldade de repasse ao varejo e pela proximidade da colheita paraguaia. A paridade de importação permanece sendo a principal referência para a formação de preços. Afora isso, é preciso continuar atento aos números da balança comercial do cereal, que mostrarão quão apertado será o abastecimento no pico da entressafra.

Dólar

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,41%, sendo negociado a R$ 5,3140 para venda e a R$ 5,3120 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3000 e máxima de R$ 5,3830.

Chicago

O contrato janeiro/21 de arroz fechou com queda de 0,1% na CBOT, cotado a US$ 13,70/saca de 50kg. Convertido para a moeda brasileira corresponde a R$ 72,80/saca de 50kg, frente aos R$ 73,16/saca do pregão anterior, ficando abaixo da média do mercado gaúcho em 30,9%. Esse arroz norte-americano chegaria por cerca de R$ 107,74/saca no mercado gaúcho (sem TEC). A média dos fornecedores do Mercosul por volta de R$ 110,02/saca na fronteira com o Brasil.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Gabriel Nascimento - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.