Garantir a disponibilidade de nutrientes para as plantas é essencial para a obtenção de altas produtividades de soja. O déficit de um nutriente pode limitar a produtividade de uma cultura, mesmo que os demais estejam disponíveis em quantidades suficientes para o bom crescimento e desenvolvimento vegetal.

Normalmente, o aporte nutricional é realizado com base nos resultados da análise química da fertilidade do solo e expectativa de produtividade da cultura. Contudo, as recomendações podem variar de acordo com a região de cultivo e/ou estado brasileiro.

Além de garantir nutrientes em quantidades suficientes para as plantas expressar seu potencial produtivo, é preciso que esses nutrientes estejam prontamente disponíveis na solução do solo. A indisponibilidade de um nutriente pode exercer o mesmo papel da sua carência, afetando o crescimento vegetal e limitando a produtividade da cultura.

Um dos principais e mais expressivos fatores que limita a disponibilidade de nutrientes para as plantas é a acidez do solo, em especial, a acidez ativa. A acidez ativa é representada pela atividade do H+ na solução do solo e, é ela que afeta o desenvolvimento das plantas e quase todas as reações no solo relacionadas com a disponibilidade de nutrientes e, é expressa pelos valores de pH, que representa a atividade do íon hidrogênio (Silva et al., 2021).

Logo, a disponibilidade dos nutrientes para as plantas esta condicionada ao pH do solo, sendo assim, solos com pH inadequado pode expressar baixa disponibilidade de nutrientes, mesmo que eles estejam presentes em elevadas quantidades no solo.

Figura 1. Disponibilidade de nutrientes em função do pH do solo.

Fonte: Embrapa (2013)

Uma das principais e mais utilizadas estratégias para corrigir o pH do solo e possibilitar a maior disponibilidade de nutrientes para as plantas é a calagem. A calagem consiste na adição de calcário ao solo para corrigir seu pH. O que irá determinar a necessidade da realização da calagem ou não são os resultados da análise química da fertilidade do solo.

Em sistema plantio direto consolidado, recomenda-se que pH do solo seja corrigido sempre que o pH for inferior a 5,5 ou quando a saturação de bases for menor que 65% (Embrapa). Normalmente, se aconselha o acompanhamento do pH do solo através da análise química da fertilidade do solo, a qual pode ser realizada com esse objetivo, 3 anos após a calagem.

Qual o intervalo necessário entre calagem e semeadura?

Tecnicamente, para que ocorram as correções necessárias da acidez e fertilidade do solo, recomenda-se que a calagem seja realizada ao menos três meses (90 dias) antes do plantio (Fráguas, 2005). O tempo de reação do calcário e correção do solo pode variar de acordo com suas características físico-químicas. Além disso, o tipo de calcário, suas características como PRNT podem interferir na quantidade necessária de calcário para elevar o pH do solo até o ponto desejado. Consulte um Engenheiro(a) Agrônomo(a) da sua região.

Quer saber mais sobre calagem? clique aqui e confira o curso que a Equipe Mais Soja preparou para você! 


Veja mais: Gesso agrícola e acidez do solo


Referências:

FRÁGUAS, J. C. PREPARO DO SOLO, CALAGEM E ADUBAÇÃO. Embrapa, 2005. Disponível em: < https://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Uva/UvasRusticasParaProcessamento/calagem.htm >, acesso em: 11/01/2022.

EMBRAPA. CALAGEM. Embrapa, Agência Embrapa de Informação Tecnológica. Disponível em: < https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/triticale/arvore/CONT000gbe2jfc402wx5ok07shnq9wwxtfvm.html >, acesso em: 11/01/2022.

SILVA, M. A. S. et al. CORREÇÃO DA ACIDEZ DO SOLO. Embrapa, 2021. Disponível em: < https://www.embrapa.br/en/correcao-da-acidez-do-solo >, acesso em: 11/01/2022.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.