Os preços da soja foram impulsionados nesta semana no mercado doméstico, atingindo patamares recordes. A movimentação ganhou força em algumas regiões, com os produtores se aproveitando do câmbio favorável às exportações.

     A saca de 60 quilos subiu de forma generalizada. O destaque foi o desempenho no Porto de Rio Grande, quando a cotação bateu em R$ 100,00 no mercado disponível e a R$ 102,00 na venda futura para julho/agosto.

     A elevação está ancorada basicamente na alta do dólar frente ao real. A moeda americana rompeu a barreira de R$ 5,20 durante a semana, maior patamar da história. Após refrear a alta na segunda parte da semana, o dólar se manteve acima de R$ 5,00.

     Para completar, os contratos futuros em Chicago reagiram na parte final da semana, em meio a perspectiva de maior demanda pela soja americana. A posição maio operou a US$ 8,57 na sexta pela manhã. Os prêmios também subiram nos portos.

     Para a próxima semana, as atenções dos investidores deverão seguir voltadas para a pandemia do coronavírus e seu impacto sobre a economia mundial. A soja em Chicago tem acompanhado de pertos os movimentos do mercado financeiro e nos próximos dias a situação não deverá ser diferente.

     Os trabalhos de colheita na América do Sul também merecem atenção redobrada, com a avaliação do impacto da estiagem sobre a produção do Brasil e da Argentina. Na sexta, dia 27, SAFRAS & Mercado vai atualizar seus números.

   Fonte:  Dylan Della Pasqua / Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Agência SAFRAS
Autor: Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.