RS: Os consultores chamam atenção para o grande lucro ainda presente na cotação de maio/21

Os preços continuam caindo no estado, diante da manutenção do dólar em níveis baixos, embora tenha subido levemente nesta quarta-feira. Os preços, desta vez, permaneceram inalterados em Rio Grande, Passo Fundo e Canoas, mas caíram 1,43% em Ijuí para R$ 138,00, 0,73% em Cruz Alta para R$ 139,00, e 4,14% em Santa Rosa a R$ 139,00. Em Passo Fundo permaneceu inalterado em R$ 138,00.

O mercado futuro subiu novamente mais 1,53% para R$ 139,60/saca para maio de 2021. Mesmo assim, este preço equivaleria a R$ 133,00/saca no interior, no mercado de lotes e aproximadamente R$ 128,00 para o agricultor, para receber no final de maio de 2021. Este valor tem embutido um lucro limpo ao redor de 60% para o produtor gaúcho.

PARANÁ: Com mais uma forte queda do dólar e nenhuma disponibilidade, preços continuam estáveis

A manutenção do dólar nos patamares mais baixos do ano continua travando o mercado. Falta de produto de safra velha, excesso de comprometimentos para safra nova, complicações climáticas para a próxima safra, tudo isto está fazendo o vendedor pisar no freio quanto a novas negociações futuras.

Os preços de balcão continuaram a R$ 130,00/saca. No mercado de lotes R$ 140,00 Ponta Grossa entrega e pagamento em dezembro. Da safra velha em Paranaguá cotação de R$ 150,00 apenas nominal.

Soja futura na origem foi cotada para entrega em março e pagamento em 15de abril em Ponta Grossa a R$ 132,50, Guarapuava a R$ 130,60,Pato Branco a R$ 130,00, Campo Mourão a R$ 129,40, Maringá a R$ 129,00 e Cascavel a R$ 128,00.

No porto de Paranaguá, para entrega em abril com pagamento em 30/05 R$ 137,20; entrega maio com pagamento em 30/6 R$ 137,80; entrega junho com pagamento em30/7 R$ 140,30 e entrega julho e pagamento em 30/8 a R$ 141,50.

MINAS GERAIS: Com queda do dólar, mercado travado

O mercado mineiro de soja continua com poucas ofertas e preços em queda, principalmente depois da forte queda do dólar nesta quinta-feira. Os preços mantiveram o recuo dos dias anteriores nas principais praças do estado, como mostra nossa tabela ao lado. O produtor sentiu a queda e correu para garantir o preço antes de novas baixas.



Fonte: T&F Agroeconômica

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.