A Ampasul, Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão publicou mais um Informativo Fitossanitário da cultura do algodão, com detalhes sobre o andamento da colheita que teve início em maio.

A introdução de tecnologias de aplicação é fundamental para o sucesso da cultura, sustentabilidade ambiental, economia de tempo e recursos na condução das lavouras de algodão.

O informativo publicado traz registro de um produtor da região norte/nordeste de Mato Grosso do Sul, que utilizou somente aplicação terrestre, com UBV, Ultra Baixo Volume para o controle do bicudo, principal praga do algodoeiro.

As aplicações em UBV terrestre para o controle do bicudo entrou no MS a alguns anos, mas foi nessa safra que essa técnica ganhou destaque por ser usada de forma integral por uma propriedade localizada na região dos chapadões.

Os responsáveis pela unidade produtora ressaltam que os resultados das aplicações em UBV terrestre, foram melhores que os obtidos nas últimas safras, onde eram realizadas aplicações áreas terceirizadas.

A Ampasul, com a equipe técnica da fazenda, considera que esse sucesso foi obtido devido a tecnologia utilizada. Ela é simples com custo/benefício satisfatório, considerando que a propriedade economizou 3 aplicações em área total para controle da praga nessa safra.

Segundo o levantamento de campo da Ampasul até o período, a média geral de aplicações na região para o controle do bicudo foram de 11 aplicações no total, e a respectiva propriedade que utilizou a técnica fechou em 8 aplicações.

Os parâmetros técnicos de aplicações terrestres são semelhantes as aplicações aéreas e seguindo as orientações técnicas e os devidos cuidados o controle da praga fica acima dos 90%, considerado ótimo.

O assunto tecnologia de aplicação foi abordado também em mais um treinamento de “Reciclagem em Tecnologia de Aplicação Aérea”, para as propriedades da região norte e nordeste do estado, voltado ao combate de pragas, especialmente ao controle do bicudo.

Neste final de ciclo do algodão foi realizado mais um treinamento, ainda sobre aplicação aérea, ministrado pelo Centro Brasileiro de Bioaeronáutica de Sorocaba – SP. Teve como público os técnicos e gerentes das fazendas da região, que buscam melhorar a qualidade das aplicações em UBV (Ultra Baixo Volume).

Clique aqui e veja o informativo.

Fonte: Ampasul (Norbertino Angeli)

Texto originalmente publicado em:
Ampasul
Autor: Ampasul

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.