A colheita do algodão mato-grossense da safra 18/19 vem se intensificando a cada semana. Com isso, os trabalhos a campo avançaram 11,67 p.p. em relação à semana passada, alcançando, assim, até sexta-feira (26/07) 25,47% das áreas colhidas no estado. A região oeste, maior produtora do estado, chegou a 21,68% da área estimada, ficando 14,38 p.p. à frente da safra 17/18.

Com condições climáticas favoráveis durante o dia, os cotonicultores em MT tiveram oportunidade de desenvolver as atividades de colheita. No entanto, os talhões cultivados no final do ciclo de semeadura, vem apresentando dificuldades na abertura dos capulhos em algumas regiões, devido a ocorrência de noites frias.

Além disso, de acordo com relatos a presença de bicudo nas lavouras ainda preocupa, tendo em vista a quantidade de insetos capturados nas armadilhas. Todo este cenário reforça a importância da continuidade no controle da sanidade das lavouras.

Confira os principais destaques do boletim:

• Em função do aumento na oferta da pluma no estado, o preço Imea-MT caiu cerca de 3,60%, ficando cotado a um valor de R$ 77,57/@.

• Devido à alta nas cotações da ICE, as paridades de exportação avançaram na última semana 2,00% e 1,19%, ficando a um preço médio de R$ 80,33/@ e R$ 88,61/@, para os contratos de dez/19 e jul/20, respectivamente.



• Ainda pautada em uma decisão do banco central dos EUA (Fed), em relação as taxas de juros, a moeda norte-americana teve um aumento semanal de 0,29%, cotada a um valor médio de R$ 3,77 US$.

• Em Mato Grosso os subprodutos de algodão tiveram um aumento de 1,39%, 1,47% e 1,80%, para o caroço, torta e óleo, a um preço médio semanal de R$ 398,89/t, R$ 511,07/t e R$ 2.017,85/t, respectivamente.

EVOLUÇÃO DA SAFRA 19/20:

O Departamento de agricultura dos EUA divulgou nesta segunda-feira (29/07) o relatório de acompanhamento da safra 19/20 do algodão americano, trazendo novas perspectivas no desenvolvimento das lavouras.

Com isso, segundo o USDA, 86,00% das áreas cultivadas já se encontram com algodão em emergência e 45,00% estão em processo de formação das maçãs.Além disso, 61,00% da safra no País está em condições boas ou excelentes, representando, assim, uma melhora de 29,51 p.p., em relação ao que foi visto na safra 18/19.

Por outro lado, algumas regiões dos EUA, principalmente o delta do Mississipi, tiveram problemas com as chuvas trazidas pela tempestade tropical Barry, que, por sua vez, poderá se refletir no processo de desenvolvimento da cultura. Dado a esse cenário, a safra dos EUA se encontra em aberto, visto que, historicamente neste período é considerado a temporada de furacões no país.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.