As comercializações da pluma de algodão em Mato Grosso para as safras 18/19 e 19/20 avançaram 1,74 p.p. e 3,37 p.p. em julho, alcançando 79,48% e 43,41% da produção vendida no estado, respectivamente. Esse cenário de pouca evolução nas vendas está ligado à desvalorização do algodão na bolsa de Nova York, em conjunto com a queda do preço da pluma no estado.

Esta, por sua vez, foi influenciada pela intensificação da guerra comercial entre as principais potências globais (China e EUA), aliada ao aumento da estimativa de estoque mundial.

Com o mercado pouco atrativo, principalmente para a safra que está sendo colhida, os produtores de Mato Grosso têm priorizado as entregas dos lotes já vendidos, na esperança de melhores preços nos próximos meses. Assim, é importante que o cotonicultor fique atento ao mercado e suas variações, visto que a moeda norte-americana nos últimos dias se valorizou em relação ao real.

Confira os principais destaques do boletim: 

• Com a constante queda da bolsa de Nova York, as paridades de exportação desvalorizaram 6,75% e 6,96%, para os contratos de dez/19 e jul/20, fechando a semana cotados a um preço médio de R$ 73,66/@ e R$ 82,40/@, respectivamente.

• Marcado pelas incertezas no mercado externo entre a China e os EUA, o dólar encerrou a semana com um avanço de 3,79%, ficando a um preço médio de R$ 3,96/US$.



• Os subprodutos de algodão em Mato Grosso finalizaram a semana a um preço médio de R$ 389,03/t, R$ 507,73/t e R$ 1.970,71/t, para o caroço, torta e óleo, com uma alta de 3,20%, 4,14% e 1,06%, respectivamente.

• Apesar dos relatos de chuva na região sudeste do estado, a colheita do algodão em MT segue a todo vapor, aproveitando as janelas de sol durante a semana, avançando, assim, 10,62 p.p., alcançando cerca de 46,66% da safra.

EXPORTAÇÃO RECORDE:

O Mdic divulgou os novos dados de exportações brasileiras da pluma de algodão, trazendo
números recordes no fechamento da safra 17/18. O Brasil escoou cerca de 1,15 milhão de toneladas no acumulado de ago/18 a jul/19, tendo um incremento de 32,60% comparado ao mesmo período da safra 16/17.

Por sua vez, Mato Grosso foi responsável por 66,73% dos envios brasileiros, levando ao exterior 769,85 mil toneladas entre ago/18 e jul/19. Os principais compradores da pluma mato-grossense, a China, Indonésia e Vietnã, juntos, representaram 60,10% das exportações do estado.

Assim, um dos fatores que levou à alta nas exportações está ligado à guerra comercial entre a China e os EUA, e suas taxações, que vêm forçando o país asiático a destinar boa parte da sua demanda por pluma a outros países. Para a safra 18/19, é esperado um novo recorde nos envios ao exterior, tendo em vista o aumento da produção aliado à grande parte da safra já negociada.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.