Apesar de ocorrerem de forma esparsa e com volumes variados no Estado, as precipitações contribuíram para o desenvolvimento dos cultivos e à reposição dos mananciais hídricos.

Na região da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, as lavouras estão predominantemente nas fases de germinação e desenvolvimento vegetativo, mas a floração já iniciou em algumas áreas. O bom resultado dos cultivos, somado à valorização do produto, fez a área de plantio chegar a 133.516 hectares, incremento próximo a dois por cento em relação à área da safra passada.

Na regional de Soledade, as lavouras apresentam bom estande de plantas e ótimo desenvolvimento vegetativo, favorecidos por radiação solar abundante e temperaturas adequadas. Em geral, as áreas estão inundadas com lâmina de água normal. Com as chuvas, melhoraram os níveis de reservatórios e cursos de água.

Na de Bagé, a limitação imposta pelos reservatórios de água que não atingiram a totalidade de armazenamento em parte dos municípios da região fez a área estimada de cultivo na safra 2020-2021 chegar a 396.135 hectares, dois por cento inferior à área da safra anterior. As lavouras estabelecidas no final de novembro já estão sendo irrigadas e apresentam excelentes condições diante da alta taxa de radiação solar. Em geral, produtores irrigam ajustando a lâmina de água em toda a lavoura de maneira uniforme e aplicam a segunda dose de fertilizantes nitrogenados. As lavouras continuam em ótima condição fitossanitária. O controle de ervas daninhas tem se mostrado eficiente. As chuvas recentes reduziram a demanda por água e facilitaram o manejo da irrigação. Apesar de o volume das chuvas não ter sido suficiente para aumentar o nível de água das barragens, beneficiou os cursos de água.

Na regional de Pelotas, a conclusão da semeadura nos municípios evidenciou a tendência de superação das intenções de plantio, o que resultou em dois por cento acima do planejado para a região. As áreas implantadas estão 100% na fase de desenvolvimento vegetativo, com bom estande de plantas e ótimo estado fitossanitário.

Na de Santa Rosa, a maior parte dos produtores mantém o foco das atividades na irrigação. A primeira ainda está para ser realizada apenas em áreas pontuais, as quais necessitam atingir os primeiros estádios para receber a irrigação.

Na regional de Porto Alegre, as lavouras implantadas apresentam bom desenvolvimento. Houve mais dificuldade de germinação e estabelecimento nas semeadas na segunda quinzena de novembro, devido à estiagem ocorrida no período. Produtores seguem realizando tratos fitossanitários e culturais de controle de invasoras, aplicação de fertilizantes em cobertura e irrigação.

Mercado (saca de 50 quilos)

Segundo o levantamento semanal da Emater/RS-Ascar no Estado, o preço médio do arroz chegou a R$ 95,74/sc., com redução de 3,40% em relação ao da semana anterior.

Na regional de Bagé, os preços variaram entre R$ 90,00 e R$ 103,00; na de Pelotas, o valor de referência é R$ 100,00; Soledade, R$ 94,00; Santa Rosa, R$ 93,00; na de Porto Alegre, R$ 100,40. Em Santa Maria, o preço médio alcançou R$ 92,40/sc.

Fonte: Emater/RS-Ascar – Informativo Conjuntural – nº 1638

Texto originalmente publicado em:
Emater/RS-Ascar
Autor: Informativo Conjuntural - nº 1638

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.