InícioDestaqueBactérias do gênero Bacillus podem atuar como promotoras do crescimento da soja?

Bactérias do gênero Bacillus podem atuar como promotoras do crescimento da soja?

O emprego de bioinsumos na agricultura tem crescido safra após safra, impulsionado principalmente pelos benefícios diretos e indiretos que contribuem para o melhor crescimento e desenvolvimento das plantas. Os microrganismos fazem parte do grupo dos bioinsumos mais utilizados em culturas anuais como soja e milho, sendo fungos e bactérias, os mais comuns em uso em lavouras comerciais.

Além da conhecida relação simbiótica entre a soja e bactérias do gênero Bradyrhizobium que resulta na fixação biológica de nitrogênio (FBN), outras bactérias têm contribuído significativamente para o aumento da produtividade e sustentabilidade de culturas como soja e milho, principalmente quando submetidas a condições de estresse.

Algumas bactérias, a exemplo do gênero Azospirillum atuam como promotoras do crescimento vegetal, especialmente do sistema radicular das plantas, sendo frequentemente relaciona a sua habilidade em atuar beneficamente em plantas. Contudo, além das conhecidas bactérias dos gêneros Bradyrhizobium e Azospirillum, pode-se dizer que uma grande variedade de microrganismos possui potencial para uso na agricultura, trazendo inclusive outros benefícios além da promoção do crescimento vegetal.

Uma desses microrganismos são as bactérias do gênero Bacillus, lembradas principalmente por estar presentes na tecnologia Bt (Bacillus thurigiensi), inserida em híbridos de milho, algodão e soja, como ferramenta de manejo para o controle de lagartas. Sobretudo, os benefícios das bactérias do gênero Bacillus vão além.

Segundo Oliveira-Paiva et al. (2022), bactérias do gênero Bacillus possuem ainda a capacidade de formar endósporos, permitindo que microrganismos solubilizadores de fósforo e potássio na cultura da soja se adaptem a condições abióticas extremas, como temperatura, pH, radiação, dessecação, luz ultravioleta ou exposição a pesticidas.



Sendo assim, as bactérias do gênero Bacillus também são conhecidas por atuarem no controle de doenças em soja, na solubilização de fosfato e, também na tolerância das plantas a déficits hídricos, impulsionada principalmente pelo estímulo ao crescimento do sistema radicular das plantas.

Conforme analisado por Chagas Junior et al. (2021), as bactérias Bacillus são fortes aliadas na promoção do crescimento vegetal em soja. Resultados de um estudo conduzido pelos autores demonstra que a inoculação de sementes de soja com Bacillus sp. apresenta potencial para incrementar o crescimento das plantas, na altura da planta, número de entrenós, comprimento das raízes e a massa seca da parte aérea e raízes.

Os autores avaliaram o potencial e viabilidade da bactéria Bacillus sp. como promotora do crescimento vegetal da soja, através da inoculação das sementes, submetendo-as a diferentes doses de inoculante.

Figura 1. Plantas de soja inoculadas com Bacillus sp. aos 30 DAS, em comparação ao tratamento testemunha. T1 = testemunha; T2 = dose 100 mL; T3 = dose de 200 mL; T4 = dose de 300 mL; T5 = dose de 400 mL. Doses em mL para 50 kg de sementes de soja.

Fonte: Chagas Junior et al. (2021)

Os resultados obtidos pelos autores, indicam incrementos positivos quando comparados os tratamentos inoculados com a testemunha, sendo observado aumento de até 13% na altura da planta, 18% no número de entrenós, 22 % no comprimento das raízes, além de ganhos significativos na massa seca da parte aérea e radicular em função do uso do inoculante a base de Bacillus sp.

Tabela 1.  Altura, número de entrenós (NE), comprimento de raiz (CR), em soja M 9144 RR inoculada com Bacillus sp., 30 dias após a semeadura.

1Médias seguidas de mesma letra minúscula, nas colunas, não diferem entre si pelo teste de Skott-Knott a 1 e 5% de significância. 2CV = Coeficiente de variação. Fonte: Chagas Junior et al. (2021)

Contudo, os resultados obtidos por Chagas Junior et al. (2021) demonstram que o aumento da dose do inoculante não proporcionou maior crescimento das plantas quando comparado  à  dose  mínima  utilizada, sugerindo que a dose de 100 ml para 50 Kg de sementes é suficiente para garantir resultados satisfatórios na promoção de crescimento da soja.

Embora haja a necessidade da execução de maiores estudos para embasar recomendações técnicas frente o uso das bactérias do gênero Bacillus como promotoras do crescimento vegetal e seus reflexos em atributos fisiológicas da soja, fica evidente a contribuição dessas bactérias para o crescimento e desenvolvimento vegetal da cultura, podendo ser considerada uma importante ferramenta de manejo.

Clique aqui e confira o trabalho completo desenvolvimento por Chagas Junior e colaboradores (2021).

Referências:

CHAGAS JUNIOR, A. F. et al. Bacillus sp. COMO PROMOTOR DE CRESCIMENTO EM SOJA. Revista de Ciências Agrárias, 2021. Disponível em: < https://revistas.rcaap.pt/rca/article/view/22557/18835 >, acesso em: 01/02/2023.

OLIVEIRA-PAIVA, C. A. et al. MICROGANISMOS SOLUBILIZADORES DE FÓSFORO E POTÁSSIO NA CULTURA DA SOJA. Embrapa, Bioinsumos na Cultura da Soja, cap. 9, 2022. Disponível em: < https://www.embrapa.br/soja/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1143066/bioinsumos-na-cultura-da-soja >, acesso em: 01/02/2023.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares