O mercado brasileiro de soja deverá ter mais um dia de poucos negócios e de preços nominais nesta quinta-feira. Chicago e dólar registram perdas e os prêmios de exportação também caem. Tendência de agentes retraídos, aguardando por condições melhores para comercializar.

CHICAGO

Os contratos com vencimento em novembro registram baixa de 0,52%, cotados a US$ 8,95 3/4 por bushel.

O mercado é pressionado pela previsão de temperaturas amenas para regiões produtoras dos Estados Unidos, o que reduz a possibilidade de quebra na produtividade por tempo quente e seco – que predomina nesta semana. O grão opera próximo do pior patamar em nove dias.

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2018/19, com início em 1 de outubro, ficaram em 127.900 toneladas na semana encerrada em 11 de julho. Representa uma retração de 3% frente à semana anterior e 68% ante à média das últimas quatro semanas. Indonésia liderou as importações, com 123.500 toneladas.

Para a temporada 2019/20, ficaram em 198.400 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 350 mil a 700 mil toneladas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

PRÊMIOS

  • O prêmio em Paranaguá para agosto ficou em 81 a 85 pontos acima de Chicago. Para setembro, o valor é de 80 a 95 pontos acima.

CÂMBIO

  • O dólar comercial registra baixa de 0,21%, cotado a R$ 3,754.

INDICADORES FINANCEIROS

  • As principais bolsas da Ásia fecharam em baixa. Xangai, -1,04%; e Tóquio, -1,97%.
  • As principais bolsas na Europa operam fracas. Paris, -0,02%; Frankfurt, -0,6% e Londres, -0,49%.
  • O petróleo opera em alta. Agosto do WTI em NY: US$ 57,01 o barril (+0,40%).
  • O Dollar Index registra estabilidade, a 97,23 pontos.

MERCADO INTERNO

Os preços da soja ficaram de estáveis a mais baixos nesta quarta-feira no mercado brasileiro. Com a terceira sessão seguida de perdas na Bolsa de Chicago (CBOT) e com o dólar também em queda, as cotações da oleaginosa seguiram pressionadas no país. No dia, houve apenas negociações isoladas, com os vendedores cada vez mais retraídos.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu de R$ 75,00 para R$ 74,50 a saca. Na região das Missões, a cotação recuou de R$ 74,50 para R$ 74,00. No porto de Rio Grande, preço passou de R$ 79,00 para R$ 78,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço recuou de R$ 73,00 para R$ 72,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca caiu de R$ 79,50 para R$ 78,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 67,50. Em Dourados (MS), a cotação se manteve em R$ 68,50. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 68,00.

Fonte: Agência SAFRAS


Texto originalmente publicado em:
Safras&mercado
Autor: Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.